sábado, 25 de outubro de 2014

AMADORES EM CLOSER PART2

AMADORES EM CLOSE PRA VOCES

MEU COLEGA DE SERVIÇO

BATENDO PUNHETA EM FRENTE AO ESPELHO PART 2 E 3

PUNHETA EM FRENTE AO ESPELHO

NOVINHO BATENDO PUNHETA NO BANHO

BANHO DO NOVINHO CASADO

EDU BATENDO PUNHETA

PUNHETA NO BANHEIRO

PUNHETA DE UM NOVINHO

EXCLUSIVIDADE BY THAISSA

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

BRINCADEIRA DE CRIANÇA COMO É BOM PART2

Isto aconteceu há muito tempo atrás, para ser mai exato fazem 17 anos. Atualmente tenho 29 anos...em nosso bairro éramos bem jovens e sempre nos reuniamos para "jogar bola" ou qualquer outra atividade para nos divertirmos (éramos meninos então a única preocupação nossa era brincar após os deveres da escola). Dentre todos, eu e Juan éramos os mais jovens, mesmo assim ele tinha 15. Normalmente quando não estava em minha casa, estava na de Juan, que sempre estava vazia, a grande maioria trabalhava, assim que quase sempre ficavamos jogando videogame. Um dia como qualquer outro fui a casa de Juan depois de fazer meus deveres escolares, era cêdo e no dia seguinte era sábado, assim que mamãe havia dado permissão extra para voltar para casa. Chegando, Juan me chama para que suba até seu quarto, começamos a jogar, nisso ouvimos a campainha da porta, era Henrique, maior que Juan 01 ano, seguimos jogando com o video, agora os três, porém com o tempo cansamos, assim decidimos fazer outra coisa, por sugestão de Juan "Policia e Bandidos", como estávamos em número impar, um seria o policial, outro o bandido e o terceiro seria o refém, então decidimos tirar a sorte, Henrique ficou como Policia, Juan como Bandido e eu Refém. O jogo consisitia que Juan teria que me esconder, se Henrique me encontrasse me salvava, senão perdia o jogo, porém Henrique sugeriu que seria melhor para o jogo que eu me vestisse de vitima/refém, de pronto aceitei, não vi nada de mal, mas depois me disse que tinha de me vestir de menina, coisa essa que neguei fortemente, jamais me imaginava numa situação dessas, mas depois de me prometerem que jamais diriam nada a nimguém e que era apenas um jogo, diante dessas condições e com algum receio, aceitei. Juan me levou ao quarto de sua irmãzinha que era quase da minha idade e começamos a procurar uma roupa, Juan encontrou uma saia escolar xadres, uma camisa branca, um sutiã e por ultimo uma calcinha tamanho "P" em coton com estampa da "HELLO KITTY". Juan me entregou as roupas e disse que poderia ir a seu quarto para me vestir...já no quarto fechei a porta com chave e então fiquei nú, comecei colocando a calcinha, como meu pinto era muito pequenininho ficou perfeita e me excitei um pouco, pois sentia algo estranho, algo bom, depois o sutiã, a camisa e por último a saia na qual ficava um pouco curta, digamos uns 10 dedos acima do joelho. Quando sai Henrique e Juan me elogiaram dizendo que eu estava "lindinha", assim estávamos prontos para começar o jogo, para ficar mais realistico Juan pede para colocar as mãos para trás e as amarra, Henrique desce até a sala e nos dá 10 minutos para nos esconder, Juan então coloca uma venda em meus olhos, segura em meu quadril e começa a me guiar, enquanto caminhavamos, sinto que Juan se apega junto a mim chegando a ficar quase juntos, começo a sentir seu pau embaixo de sua bermuda encostar em minha bunda, não vou negar que isso me excitou, achei estranho pois por ser menino não deveria sentir aquilo. Assim me seguiu guiando até que chegamos a um lugar (estava vendado e não enxergava nada), abriu uma porta, colocou a mão em meu traseiro me empurrando para entrar. Ordena que me ajoelhe, se põe por trás de mim e volta agarrar meu quadril e me puxa junto a seu corpo, volto a sentir aquela coisa dura encostar em minha bunda, mordi um pouco os lábios, com as mãos em minha costa começa a fazer com que eu agache a parte superior de meu corpo fazendo eu sentir mais seu pênis, depois pede que flexione os joelhos, sentia que seu corpo se flexionava junto ao meu, meu rosto ficou colado ao solo, porém por cima de uma almofada, então ele começou a alisar minha bunda com seu pau, como estávamos de roupa ainda não via problema, depois me pediu que juntasse meus pés, a seguir amarrou meus tornozelos aproveitando para puxar a calcinha que cobria minha bunda saindo por meus pés, levantou a saia e por dois minutos alisou minha bunda enquanto gemia devagar, pediu que eu abrisse minha boca e coloca um pano para que não possa gritar, agora sim estava em meu papel de vitima real, não enxergava nada, mãos e pés atados e um pano em minha boca, totalmente dominado. Depois de muito alisar minha bunda, ele se levanta e abre a porta, fechando a seguir, dai escutei a voz de Henrique, conversavam aos sussurros coisa que não entendi muito bem...depois retornou, me disse que não me preocupasse que estavamos bem escondidos, nisso sinto ele atrás de mim sua mão subia de minha coxa até chegar a minha bunda e alisar, senti algo totalmente diferente e muito gostoso, sentia seu pênis entre minhas nádegas enquanto segurava firme em meu quadril, simplesmente permiti levado pela emoção...ele ia para trás e voltava para frente sentindo todo seu pau na raia de minha bunda, ficamos assim por um tempo, ele estava me deixando louco sentindo seu pênis duro massageando meu traseiro, sem querer comecei a gemer pelo prazer que sentia, Juan percebeu e me perguntou... _Tá gostando?? Com a cabeça indiquei que sim... _Agora você vai provar algo que irá gostar mais ainda!!! Percebo que se ajoelha a minha frente, retira o pano de minha boca e ordena que eu abra bem a boca, ouço seus gemidos cada vez mais alto, em poucos minutos senti seu pau tocar meus lábios e entrar, segurou firme minha cabeça e esporrou abundantemente, sua porra explodia em minha garganta e escorria pelos cantos de meus lábios, o que sobrou dentro cuspi fora, Juan começou a rir e perguntou se havia gostado do sabor, coisa que lhe respondi que não muito e terminou dizendo que da próxima vez teria que ir me acostumando e engolir tudo. Pensei por um momento que dali terminaria tudo o jogo, saiu novamente me deixando naquela posição incômoda, 10 minutos ou mais sei lá, apenas ouvia ele conversando com Henrique lá fora e riam muito...enfim retornou, começou levantando minha saia, alisava o rego de minha bunda com a mão e quando passava por meu cuzinho virgem pressionava com o dedo médio me fazendo gemer de prazer, repetiu uma dezena de vezes mais... _Você vai ser minha primeira menina!!! _Você vai ver como vai gostar de meu pau!!! _E eu desse cuzinho apertado!!! Depois disso apenas senti o pau duro de Juan tocando minhas nádegas a procura da cavidade anal, coisa que me fez sentir uma descarga bem forte de eletricidade quando encaixou, uma sensação super deliciosa sentir algo que realmente desejava...Juan tentou por várias vezes sem sucesso, sua ansiedade o impedia, até que finalmente conseguiu, segurou firme meu quadril e num só empurrão me penetrou sem nenhum aviso, claro que eu soltei um grito de horror, não sei quanto de seu pau entrou, o unico que sabia era que doia e ardia muito, tentei escapar, mas o único que consegui foi sentir suas mãos apertarem mais forte meu quadril, ele apenas me dizia para que relaxasse, com certeza era o que eu queria naquele momento, por mais que lhe rogasse que tirasse ele não fazia caso algum, pelo menos cessou por ali e parou de se mexer, porém continuava a sentir uma dor pavorosa. Nunca pensei que o prazer que havia sentido a pouco iria se transformar tão rápido numa dor tão intensa, não sei quanto tempo permaneceu Juan imóvel, porém justo quando a dor começava a diminuir, ele voltou a penetrar um pouco mais, coisa que fez com que doesse com mais intensidade, uma vez mais lhe supliquei que tirassse fora, porém ele apenas disse que havia entrado quase tudo e que aguentasse mais um pouco, ele dizia assim pois era eu que tinha uma coisa grossa e dura arrombando o cu, assim que segui lhe pedindo aos prantos, porém ao contrário disso, terminou de empurrar tudo dentro de mim fazendo-me gritar novamente... _Já está tudo dentro, seu cu é muito gostoso!!! A dor era insuportável, de repente ele começou a tirar devagar até chegar ao ponto de sair e voltou a empurrar devagar até o fundo, tentava relaxar pensando na sensação que havia sentido quando roçava seu pênis em meu traseiro, disse que já estava terminando, que aguentasse mais um pouco, sinalizei com a cabeça que sim, então começou a meter brutalmente, no pouco tempo que ele havia começado com as estocadas violentas, não sei se a dor diminuiu ou foi meu cu que se acostumou com seu pau, pois não era uma dor tão intensa, era suportável e ajudava a tratar de me relaxar, quando mais forte ele metia mais sentia que poderia sentir algum prazer e gemia mais rápido também, nisso Juan solta meu quadril e arreganha minhas nádegas fazendo meu cu se abrir mais sentindo as penetrações mais profundas dando gemidos cada vez mais fortes, foi diminuindo, seu pau inchava e palpitava dentro de mim, seus gemidos se transformaram em urros, estava descarregando seus testiculos dentro de meu cu, apertava minha bunda e esporrava até cessar e ficar imóvel novamente, ficou um tempo dentro de mim enquanto me dizia que havia sido sua primeira vez e que havia gostado muito, sentia como seu pau perdia a ereção e meu cu pouco a pouco o expulsava, esse que tanta dor havia proporcionado, porém a recompensa foi grande quando saiu, pude sentir um grande prazer acompanhado de uma nova sensação. Juan se levanta e abre a porta, senti uma brisa gostosa, estava exausto, por minha coxa escorria um pouco de seu sêmen, nisso sinto algo duro encostar em minha bunda, duas mãos abrindo minhas nádegas e novamente fui penetrado, agora com facilidade, não poderia ser Juan pois aquele pau era bem maior e grosso, tão somente entrou foi até o fundo e começou a foder com intensidade, meu cu estava cheio de porra então aquela rôla grossa entrava e saia com facilidade, lastimei que durou tão pouco tempo, quando comecei a relaxar e sentir aquele prazer que tanto procurava, aquele pau duro e grosso começou a esguichar porra dentro de mim, quando saiu pude sentir um vazio dentro de mim e agora muita porra escorria por minhas pernas, ouvi Juan se despedindo de Henrique e o levando até a porta, dai percebi que o segundo pau que me invadiu era do Henrique, logo Juan veio e me libertou, demorou para meus olhos se acostumarem com a luz, me levantei e fui até o banheiro. Depois de limpar meu cu dolorido e evacuar o semen , vesti a calcinha e regressei ao quarto de Juan, pensei que dessa vez sim havia acabado tudo, porém me equivoquei novamente, me sentei na beirada da cama, Juan ainda seguia deitado...continuava me perguntando se havia gostado, coisa que lhe disse que havia sentido uma dor horrivel no começo e que depois passou um pouco e que somente senti algum prazer quando seu pau saiu de dentro do meu cu. Nisso sinto que Juan agarra minha mão que estava apoiada na cama e leva até seu pau, não estava totalmente ereto, olhei para seus olhos incrêdulo que poderiamos fazer tudo de novo, logo me disse que eu deveria fazer tudo que ele me pedisse, disse que agora sim eu sentiria prazer, que a primeira vez é assim mesmo e tudo isso, realmente eu fiquei com vontade de fazer novamente e sentir novamente aquela sensação no final da sessão anterior. Uma vez que ele me convenceu que não voltaria a sentir dor, agarrei seu pau e comecei a mover para cima e para baixo enquanto Juan me pedia para lamber, coisa essa que também não me pareceu mal, porém ao fazer ainda tinha rastros de sêmen com algo mais que não vem ao caso para o momento dizer porém todos podem imaginar. Fiz com muito asco pelo sabor, porém me excitava novamente, depois de deixa-lo limpo e molhado, então Juan pede que deite de bruço na cama, levanta minha saia e tira novamente minha calcinha deixando meu cu a disposição, nisso Juan deita-se em cima de mim dizendo que abra minhas pernas, nisso começo a sentir novamente seu pau entre minhas nádegas, novamente aquele prazer brotou, pedi que brincasse um pouco na raia de meu cu, depois de fazer por um tempo me perguntou se estava pronto, lhe disse que sim, tentou várias vezes mas falhava, por fim logrou êxito, não vou negar que doeu novamente, porém desta vez não foi tão forte como anteriormente, foi uma dor suave, agora sim foi fácil relaxar-me, uma vez que me penetrou como um todo, pedi que me desse um tempo para que me acostumasse, em pouco tempo a dor desapareceu totalmente, então lhe disse que estava pronto mas que fosse um pouco devagar. Ele metia suavemente, tirava e metia lentamente, comecei a sentir aquele prazer que tanto procurava, sacava quase que todo e depois enfiava até o fundo, me doia um pouco, mas era uma dor mesclada de prazer e aos poucos ia desaparecendo enquanto aumentava o prazer. Se antes senti algum prazer, esse era muito maior, Juan tirava e enfiava devagar e pouco a pouco foi fazendo mais rápido coisa que fazia eu sentir mais prazer, quase havia desaparecido a dor, adorava sentir a pica de Juan entrar e sair de meu cu, enquanto sussurava coisas em meu ouvido e mordia suavemente meu ombro, foi uma grande mistura de prazeres, sentir tantas coisas ao mesmo tempo que me fazia sentir tão excitada e ao mesmo tempo tão feminina, depois de um tempo em que Juan estava me penetrando em uma boa velocidade, eu gemia de tanto prazer, não aguentei mais e tive meu primeiro orgasmo com o pau de Juan dentro de mim, primeira vez que sentia um orgasmo, tão delicioso, esse prazer era intenso e prolongado, enquanto que Juan continuava metendo forte em meu cu, abriu minhas nádegas com as duas mãos e cravou fundo (Dai senti uma dor incômoda novamente), me perguntou se havia gostado de seu pau, respondi que estava uma delicia...pensei que ele havia gozado, porém se levantou e pediu para ficar igual uma "cadelinha" de quatro na cama, senti a ponta de seu pau na entrada de meu cu e num empurrão cravou inteiro, novamente senti aquela sensação de dor e prazer, desfrutava de cada arremetida que me dava, não sei quanto tempo ele seguiu metendo enquanto eu seguia gemendo de prazer, até que ele acelerou, sentia suas bolas explodindo em minha bunda até que deu um urro forte e disse... _CAROLINA VOCÊ É MINHA PUTA!!! E foi descarregando seu semen dentro de mim, dessa vez não esperou amolecer, de imediato sacou seu pau para ver o enorme buraco que se formou expelindo sua porra se fechando em seguida, deu um suave tapa em minha bunda, disse que havia gostado muito de meu rabinho e que sempre seria a menina dele e que sempre me chamaria de "CAROLINA" quando estivessemos a sós, coisa que aceitei de imediato. Juan disse que poderia levar a calcinha de presente e sempre deveria usa-la quando estivesse com ele. tirei a roupa de sua irmãzinha, menos a calcinha, e coloquei a minha por cima. Antes de ir, Juan se despediu com um beijo em meu rosto e disse "CAROLINA ESPERO TE VER LOGO" . Desde esse dia nos encontravamos quase que diariamente e algumas vezes Henrique também participava...

BRINCADEIRA DE CRIANÇA COMO É BOM

Ricardinho morava em uma pacata cidade do interior, era magro e muito ingênuo. Na escola sofria bulling, pois apesar de ser majerrimo, tinha uma bunda redondinha e seus coleguinhas o chamavam de "bichinha" e passavam a mão em sua bunda gordinha. A sensação naquele vilarejo era a escolinha de futebol comandada por um senhor aposentado, tinha por volta de 60 anos, sempre a barba por fazer e tinha uma barriga saliente. Ricardinho, assim como os outros meninos após a escola passavam o final de tarde no campinho treinando com o Professor Paulão. O professor admirava Ricardinho, não pelo seu futebol, pois era muito ruim de bola, mas pelos seus atributos, aquela bunda saliente chamou atenção do velho. _Ô Ricardinho, se você não melhorar vai ficar de fora outra vez no domingo!!! No domingo o time disputava uma partida oficial com alguma equipe de outro vilarejo. Esse era o sonho de Ricardinho, jamais havia vestido o uniforme do time e essa seria a barganha que o velho treinador iria usar. _Escuta aqui Ricardinho, você quer jogar no domingo? _Claro professor, é o que mais quero!!! Ricardinho ficou radiante com a provável oportunidade. _Então é o seguinte, tenho observado você e talvez tenha a solução!!! Ricardinho ouvia atentamente e estaria disposto a qualquer coisa pelo seu intento. _Vários que estão no time titular tiveram que passar por um ritual, você topa!!! _Sim...claro...qualquer coisa!!! Seu coração bateu acelerado perante tamanha oportunidade. _Então hoje após o treino vamos até minha casa e lá faremos o ritual!!! O treino acabou pelas 5 da tarde, ele morava próximo, era uma casa de madeira simples, na sala um sofá, uma estante com uma televisão, um quarto com uma cama de casal , a cozinha com um fogão e uma geladeira e lá no fundo um banheiro. Ricardinho sentou-se no sofá, Paulão a seu lado. _Podemos começar!!! _Sim professor!!! Paulão se levantou e ficou em pé á frente de Ricardinho devagar foi abaixando sua bermuda deixando-a cair ao solo, Ricardinho quando viu aquele pintão ainda mole em sua frente ficou envergonhado e confuso. _Segura ele com a mão!!! Ricardinho devagar aproximou sua mão e segurou, jamais imaginou que um pinto pudesse ser tão grande, aquela coisa devagar foi inchando. _Agora põe na boca!!! Olhou achando aquele pedido absurdo, mas como queria passar pelo ritual, abriu a boca e deixou aquela pica grossa invadir. Paulão com a mão em sua nuca fodia sua boca devagar, aquela vara foi crescendo até ficar em sua máxima ereção, Ricardinho apenas conseguia colocar a cabeça grossa na boca, Paulão quando viu que sua pica estava toda salivada, terminou com a primeira parte. _Parabéns você passou na primeira parte!!! _Mas é só isso!!! _Sim, mas agora é a parte principal, você está preparado??? _Sim...Sim!!! Naquele momento trocaram de posição ficando Ricardinho em pé enquanto o velho sentava-se no sofá. A bundinha gorda de Ricardinho ficou na altura do rosto de Paulão que devagar foi abaixando seu shorts, seus olhos brilharam com tramanha beleza, Ricardinho ficou imóvel, logo sentiu as mãos alisarem seu traseiro e repartirem ao meio suas nádegas expondo seu apertado e virgem cuzinho, uma lingua áspera começou a percorrer seu reguinho e ensalivar seu rabinho até ficar bem molhadinho. _Agora vem devagar e senta aqui!!! Paulão segurou firme seu cacete de 22 cms e segurando na cintura dele encaixou bem no olhinho. _Senta devagar...senta...se doer me avisa tá!!! Ricardinho foi deixando seu corpo cair sentindo aquela coisa cabeçuda forçar a entrada de seu cagador, quando estava por lacear seu esfincter e concretizar a penetração, Ricardinho sentiu uma dor horrorosa. _Aiiiii... tá doendo...tá doendo!!! Mais que depressa Paulão levantou Ricardinho abortando a invasão, seu cuzinho permanecia intacto. _Não deu certo né...e agora!!! _Não esquenta não!!! Paulão pediu para ele abrir a boca e colocou seu caralho na boca. _Agora eu quero que você chupe com vontade tá...e quando sair um leitinho você engole!!! _Leitinho, mas dai sai xixi!!! _Sai leitinho também, você vai gostar!!! Ricardinho começou a mamar e chupar e não demorou, Paulão segurou firme sua cabeça e começou a urrar despejando porra, foram 5 esporradas fortes, esperou terminar e foi recuando devagar saindo, depois vendo como Ricardinho engolia sua gala fazendo uma cara de quem não gostou. Ricardinho voltou para casa com aquele gosto estranho na boca... E não é que no domingo entrou como titular e fez quatro gols se tornando titular absoluto do time...o tal do ritual faz resultado mesmo...genial. F I M Avisos aos pudicos de plantão "essa é uma obra de ficção". Essa é a primeira parte, nosso protagonista ainda viverá muitas aventuras...