domingo, 28 de setembro de 2014

O MULATO QUE CONSERTAVA MICROONDAS

Sempre me dá arrepio quando recebo homens em minha casa para instalar ou consertar alguma coisa. Fico sempre na expectativa de ser algum negro gostoso para que eu possa fantasiar ao menos. Tenho tara por negões. Naquele sábado, marquei de um rapaz vir consertar meu forno microondas. Já imaginando coisas, coloquei uma calcinha fio dental preta e me vesti normalmente para receber o rapaz. Ao abrir a porta, para minha surpresa, era um mulato, alto, não muito novo, nem bonito, mas o suficiente para me dar aquele friozinho na barriga. Dei as instruções para ele e fui ao quarto, fechei a porta e o deixei na cozinha. Com a porta entreaberta, tirei a bermuda e a camisa e fiquei só de calcinha, rebolando no espelho e imaginando o negão lá na cozinha. É uma sensação que arrepia estar de calcinha perto de um macho. Entretanto, eu não esperava que a porta abrisse sozinha e que o negão estivesse na porta da cozinha mexendo na mochila dele: resultado, o cara me flagrou com a calcinha enfiada na bunda. Ao me ver de calcinha, o negão fez uma gracinha: "Que isso, hein?". Sem graça com a situação e sem conseguir raciocinar direito, falei para ele, sem saber ao certo se ele gostava: de um viadinho "Vem aqui conferir de perto". Para meu deleite, o negão se levantou e se aproximou, já mexendo no pau por cima da calça. Eu, então, empinei a bunda e comecei a roçar e rebolar ela no macho para sentir a pica já dura. Ele foi e me deu um tapão no rabo e disse: "Está fim de rola preta, sua puta oferecida? Sentindo que o volume da calça estava crescendo, ajoelhei, tirei o cacetão para fora e comecei a chupar aquele pau.Lambia a cabecinha, chupava o saco, passava a língua no pau todo. Teve uma hora que o macho segurou minha cabeça e fez a pica entrar toda na minha boca: "Chupa essa piroca viado. Você não ficou exibindo essa bunda pra mim, agora aguenta", disse o mulato. Depois de ficar uns minutos chupando ele, o negão disse que queria me foder. Tirei a calcinha e fiquei de quatro no chão com o rabo aberto e arreganhado. Peladão e com a pica dura, o mulato não se fez de rogado e enfiou tudo aquilo no meu cu: "Ai negão, mete forte neste rabo, arromba meu cuzinho, vai". O mulato bombava forte, dava tapas na minha bunda e me xingava de puta, de vadia, de vagabunda. Eu gemia alto, gritava e sentia a pica arrombando minhas pregas. Tinha horas que o safado tirava e depois enfiava o pau todo dentro do meu cu. O mulato me puxou pelos cabelos e me colocou quase de cabeça para baixo na posição de frango assado com o cu pra cima.Foi e atolou a pica, enfiando tudo até o saco. Eu sentia a rola me arrombando toda.Ele socava forte, sem pena, sem dó, me deixando louca. Trocamos de posição. O negão deitou na cama com a rola dura apontada para o teto e eu ja me sentindo toda arrombada, sentei naquele caralho e levantei as pernas para que a pica entrasse toda. Aiiiiiiii, eu gemia e chorava sentada na vara do negão, que socava forte no meu cu. Quando percebeu que ia gozar, o mulato me puxou pelos cabelos, me mandou ajoelhar e abrir a boca. Ainda com o pau bem duro, meu macho despejou cargas de esperma na minha cara e na minha boca e eu me deliciava com aquela porra quentinha. Suguei a pica até não sobrar mais nenhuma gota. Mas o negão não estava satisfeito e ordenou que eu ainda ficasse ajoelhada. Logo depois de gozar, ele veio e deu uma mijada quentinha na minha cara que jorrou para todo meu corpo. Estava em brasa que gozei horrores. Antes de se vestir e terminar o serviço que ele estava fazendo, o mulato ainda deu uns tapas na minha bunda. Disse a ele para voltar qualquer dia e, se pudesse, trazer uns amiguinhos negros para uma festinha.. rsrsrs

NEGUINHA,VIADO DE MACHO

Lendo o conto de um jovem passivo aqui no site, deu vontade de contar meu começo. Tinha 16 anos, sou cabo verde, isto é, negro, cabelo liso, 1,65, 65 quilos, corpo esguio, perna grossa e bundão. Não exageradamente afeminado, mas, fácil reconhecido por macho que gosta de novinho viado para seu prazer. Ainda era virgem, quando meu pai me mandou fora de casa ao me flagrar chupando o pau de um primo. Indo trabalhar como empregado de serviços domésticos na casa de uma família. Tratado com carinho pelo casal, era apenas cumprimentado pelos seus dois filhos. Um de 21 anos e outro de 20. Os dois esportistas, remadores. Belos exemplares de machos que eram a razão de minhas punhetas desde que eu ali chegara. Era comum me acordarem de madrugada quando chegavam da balada. Eu evitava olhar seus olhos e ser explicito no meu desejo por naquele momento estar debaixo da mesa que sentavam fazendo o que meu primo ensinou. Mamar rola. Diariamente treinado por ele, aprendi a primeiro cheirar meu homem, encarar seu olhar e estar pronto a obedecer qualquer ordem vinda dele. Estar atento e aprender seus gostos. O dele era que depois de me esfregar o rosto em seus pentelhos, lamber da base a cabeça de seu membro, e só depois de chupar a cabeça, descer lentamente ate ter todo o cacete dentro de minha garganta. Em quatro meses, eu que no inicio só conseguia a metade, no fim já havia descoberto o talento genético para ter confortável seus 23 cm me usando a boca como desejasse. Ele me mostrou logo no inicio qual era a razão de minha existência. Agradar machos ativos, potentes que usem seus viados como lhe dê na veneta. Aprendi minha natural submissão, soube que meu prazer era a satisfação do meu dono. Pena que tão bem treinado em cuidar de cacetões e sacos, ele não teve tempo de me romper o cabaço, achava que só devia fazer quando eu formado com em mamar. O crime é que o fatídico dia seria justamente quando fui flagrado com pau dele invisível já que todo em minha boca. Tomei uma sova, e no dia seguinte era mandado a capital. Com o primo nada foi dito, meu pai dissera que macho é assim, se encontra puta pra se satisfazer tem direito a usar. Tanto que depois da sova, me mandou terminar o que começara. Ao meu lado assistiu o primo me fuder a garganta como se fosse um cu, e despejar no fundo seu leite. Mostrei que não desperdiçara e tomei uma bofetada na cara, mandando que eu dormisse já na varanda, para de madrugada ir embora. Triste e feliz no Ônibus que deixava para trás a vida que nunca gostei. Sonhava, mesmo que sem muito saber da vida, em continuar a ser fonte de prazer a homens como o meu primo, um macho, mandador, dotado e potente, um Alfa entre a espécie. Olhava os filhos do casal que me empregara como os mais belos entre os homens, Já os vira despidos e sabia terem instrumentos que fácil me submeteriam, principalmente o mais velho. Grande, forte, meio ríspido, mandão, dotado do mesmo tamanho de meu primo, porem em sua pele branco, parecia mais bonito ainda, principalmente por ser perfeitamente reto, assim como seu irmão com 20cm e mais grosso ainda que o maior. Nessa madrugada estavam mais altos com efeito do álcool, tanto que fora um amigo que os trouxera. Pediram que eu fizessem suco e sanduiche. Fiz, servir e fiquei sentado esperando novo ordem. De onde estava via via entre suas pernas abertas boa parte de suas maravilhas. Eles brincavam e riam falando um ao outro dos pegas que deram em varias garotas. Notei que falando nesse tema os dois se excitavam. Eu assistia uma das maravilhas do mundo. Seus paus crescerem e fugirem dos pijamas. Estava tão entretido, que a visão me fazia salivar e lamber os lábios sem notar que eles haviam percebidos. O mais novo concordou com seu irmão que o jeito agora seria uma punheta, pois mesmo pegando varias, o maximo que conseguiram fora pegadas demão no pau. Riram dizendo que maravilha seria uma chupeteira bebedora de porra. Minha vontade era de braço suspenso me voluntariar a tarefa. Quando ouvi baixarem o tom de voz, voltei a olha-los e os vi me encarando com um sorrisinho desdenhoso nas faces. Rui, o mais velho me pergunta. -Já namorou na cidade de onde veio Dico? -Não. -Nunca comeu buceta? -Não O mais novo, sempre mais risonho e mais safado, pergunta. -E fazia o que? Batia punheta ou era brinquedinho dos colegas? Fiquei sem saber o que fazer, vontade de confessar. Rui insiste. -Pode falar Dico, já sacamos que gosta da coisa. Era a segunda opção o que fazia ? -Era. Andre, o mais novo. -Sabia que esse neguinho rabudo curtia pica. Chega aqui e faz um favorzinho pra a gente. Atendi a ordem com um tremor no corpo, tinha medo que me batessem. Cheguei a beira da mesa, de frente a eles. Rui. -Sabe que viado tem que fazer o que macho mandar? -Sim, seu Rui. -Então vai debaixo da mesa e da uns tratos nas rolas. Se não fizer bonitinho, dorme no jardim. Sacou viado? Eles apenas afastaram um pouco suas cadeiras da mesa. Sorrira ao me ver esfregar o rosto entre as pernas do Rui. Andre junta sua cadeira ao do irmão, se vira e bate seu cacete muito duro com grossissimas veias em meu rosto. -Lambe. Não é treinaram bem o viadinho? Kkkkk Rui -Veremos o quanto. Vem Neguinha, deixa de cerimônia e mama minha pica. Ao fazer o mandado, ouço seu gemido. O Andre me puxa pelos cabelos e manda que faça o mesmo. Geme mais gostoso ainda. -Rui! Nunca mais vamos bater punheta, a bixinha sabe mesmo! Vamos ver se sabe comer tudinho. Rui toma meus cabelos das mãos dele e me enterra o rosto devagar até que meu nariz encoste nos seu púbis coberto por uma mata de pentelho, diferente do irmão lisinho. Segura ate me ver a ponto de desmaiar. Me solta e ao me ouvir dizer -Quero mais. Fica fora dos eixos e movimenta minha cabeça a seu bel prazer. Levanta dizendo que adora ver viado mamando rola de joelhos. Torna a foder com firmeza, eu babando de molhar a camiseta que usava. Ouvia o Andre gemendo e de vez em quando me bater com seu pau no rosto. -Agora bebe viado. Bebe tudo sua bichinha cachorra. Bebo feliz em outra vez ver que satisfiz um macho, ainda mais um macho daqueles, que eu só via em novelas. Terminado o gozo, ele passa toda a rola em meu rosto,rindo achando que fazia algo desagradável a mim. -A Neguinha gosta mesmo de rola e porra. Olha os olhinhos felizes. Agora a minha Neguinha. Ele repete o que fizera o irmão, divertiram-se pondo cada um seus dedos a me forçar abertura na boca para ter o pau mais grosso na boca. Ele se demora mais. Rui ria dizendo que o álcool atrasava o orgasmo. André decide. -Vou é meter no cu da neguinha. Tremi de medo. Era muito grosso. Tesão maior que o medo, fez-me obedecer e ficar de quatro e nu, assim que ele trancou a porta de seu quarto. Encosta o rosto e me cheira, verifica e confirma que estou limpo e cheiroso. -Neguinha, a partir de hoje é cu limpissimo sempre, pois podemos estar a fim de te comer qualquer hora. -Sim, seu André -Gostei de ser lisinho, agora abre e se prepara que vou madar rola. -Por favor seu Andre, seii que não devo reclamar, só quero avisar que será o primeiro. -Ta brincado Neguinha. -Juro ao senhor. -Otimo, vai ser bem inaugurado. Tranquilo que sou bom em descabaço de viadinho. Que o diga nosso priminho não é Rui? Kkkkkk Ele foi ao banheiro e o Rui faz a mesma vistoria, porem lambe o dedo maior e enfia lentamente, me faz gemer baixinho, um pouco de desconforto, e logo prazer em estar de quatro servil a ele. Seu irmão volta com um pote na mão, ele já posicionado, tira o pote das mãos do irmão e diz que ele como mais velho vai ser o primeiro. Andre concorda e vem a minha frente mandando que volte a mamar. Ele mesmo abre com suas mãos a minha bunda a receber uma grande quantidade de gel . Rui. -Neguinha, vai ser nossa puta. Vamos te comer sem capa, já que é virgem. Se souber que deu a alguém, vai apanhar tanto que ficara sem um dente nessa boca de chupeteira. Termina a ordem e ameaça enfiando com força a cabeça muito grande seu cacete. Lagrimas me saem dos olhos, sentindo todos os meus músculos do corpo se romperem. Eles ficam imóveis uns poucos segundos. Andre retorna primeiro a me entrar na boca de forma tão lenta que vou a frente em busca de mais. O Rui começa a entrar me fazendo sentir cada milímetro de sua caminhada ao fim. Perto de te-lo todo, ele comenta com o irmão que falta pouco. Suas mãos agora estão em meus ombros. Ele enterra tudo,me faz tirar os joelhos do chão e engolir todo seu irmão. -Andre! Não é que a neguinha bixa comeu minha vara inteira sem fazer escândalo? André dá um tapinha nas minhas costas e diz -Prepara Neguinha, que a prtir dessa noite vai ter tanta rola pra mamar e foder esse cu, que vai viver ocupada. Rui -Vai é gostar não é viado? -Sim. -kkkkkkkkkkk Puta do caralho. Vou cozinhar esse cu de tanto que vou meter. Por quase uma hora aquele macho me usou em todas posições, das mais conhecidas a outras que os faziam rir. Por mais que me fodesse, mais eu sentia que estava no lugar certo. Em cima ou debaixo de uma rola das grandes, tomando tapa na bunda e nacara, com outra me arrombando a boca. Riram quando agradeci ao trocarem de lugar já que o Rui decidira gozar na minha boca e rosto. Andre ficou uns 20 minutos estocando até que me faz gozar no tabuado do piso sem ao menos encostar no meu pinto assim que senti o rio de esperma a me inundar por dentro. Antes de se darem por satisfeito mandaram que lambesse meu gozo no chão. Até me acarinharam o topo da cabeça quando atendi prontamente. Fechando a porta ouço. -Amanha, vem pra ordenha quando nos chamar para o café. -Sim senhor, seu Rui, até amanha, e muito obrigado aos dois. Riram -Vai dormir viado. No meu quartinho, me masturbei ao menos três vezes sonhando com o que acontecera e o que viria.

O TREINO DE FUTEBOL

Oi pessoal. Chamo-me Paulinho, e tenho 16 anos. Sou alto, meio moreno, cabelos lisos e pretos, tenho um peitoral bem definido – faço academia. Ah, sem falar que muita gente me chama de Paulinho popô, pois eu tenho uma bunda enorme! E outra também é enorme, que mede 18 cm. Vou contar pra vocês uma história épica que aconteceu em minha vida. Que, sem dúvida, foi à melhor relação amorosa que eu tive, e foi com um homem. Meus pais são divorciados. Eu moro com a minha mãe, e, graças a Deus, eu sou filho único. Meu pai mora em uma cidade bem pertinho da minha, e por isso eu passo os fins de semana com ele. Mas me deixa começar mesmo a história. Já vou contando que é curta, então nem precisa ficar enrolando, e enrolando... No começo do ano, em Janeiro, fui passar as férias na casa do meu pai. Ele mora só, então é fácil de viver lá, pois tudo é como eu gosto. Como nós gostamos. Tudo bagunçado. Cuecas no chão, roupas no chão, a cama desforrada, panelas sujas... Espaço pra homem mesmo. Mas eu não me considero um homeeeem, e sim um adolescente. É certo que eu, antes disso, tinha várias namoradas, ficantes, paqueras... Mas depois de um dia... Eu mudei totalmente a minha opção sexual! Em janeiro, fui passar as férias na casa do meu pai. E eu amava ficar lá com ele. Por quê? Por que nós sempre tivemos uma relação aberta, sem medo, sem malandragem. Nós tomávamos banhos juntos, nós ficávamos pelados, eu usava suas cuecas, ele usava as minhas... E por ai ia. Eu sempre fazia academia pela tarde, mas parei a pedido do meu pai. Ele me dizia que aquilo fazia mal, que aquilo era ruim pros músculos, e que deixava a rola pequena. Então eu decidi parar, pois eu já tinha um tanquinho... Pra me ocupar, o meu pai decidiu me colocar em um treino de futebol, todas as tardes. Eu não era apaixoooonaaaado por futebol, mas sempre acompanhava o Barcelona, que é o meu time do coração. Comecei a ir aos treinos e uma novidade pra mim veio à tona. E o que era? A minha sexualidade. Comecei a ir aos treinos todas as tardes, e fiz muitas amizades. Mas uma coisa que me encabulava era o jeito que o treinador olhava pra mim. Era um olhar diferente. Um olhar safado. E quando ele me olhava, ficava pegando no seu pênis, virando à bunda... Querendo oferecê-la pra mim. Sempre percebi e deixava quieto. Era opção dele, ser gay. Como eu já disse, sempre observei o jeito dele de me olhar, mas eu ignorava, pois não queria ter um intercurso sexual com um homem. Outra coisa que encabulava, era o vestiário. Todos os meninos tomando banho na mesma sala, todos pelados... Eu não curtia muito isso. Certo dia, o treinador estava diferente. Ele fez um treino bem pesado conosco e nós ficamos morrendo de cansaço. Ele disse aos meninos pra irem tomar banho no vestiário do setor B, e depois irem pra casa. Ele, quando acabou o treino, disse pra mim: - Quero conversar com você, agora! Na minha sala. Fiquei curioso pra saber o que era. Segui-o até sua sala. Eu estava pingando de suor, e tudo o que eu mais queria era tomar banho. Ele trancou a porta de chave e colocou dentro do seu short. Ele disse: - Pra você sair daqui, vai ter que pegar! Olhei estranho pra ele. Sabia que ele gostava de homem, mas eu não queria fazer nada com ele, pois eu tinha opção sexual diferente dele. Eu disse: - Tá me estranhando, treinador? Dá-me essa chave. Ele tirou sua camisa e deixou a mostra o seu peitoral peludo e malhado. Ele me agarrou e tampou minha boca. Abraçou-me forte. E eu fiquei parecendo uma agulha perto daquele homenzarrão. Ele começou a dar beijos, cheiros em meu pescoço suado. Ele sussurrou ao meu ouvido esquerdo: - Ah, há quanto eu esperei por esse momento – falou aos delírios. Ele me pôs no braço e me colocou sentado na cadeira principal de sua mesa. Eu não estava entendendo nada do que estava acontecendo. Mas resolvi deixar, aquilo estava me dando prazer. Eu fiquei sentado na cadeira e ele se ajoelhou. Começou a passar a mão em meu peitoral suado e depois no meu rosto, e logo em seguida no pênis. Ele puxou meu calção e começou a me masturbar com sua mão esquerda, e com a direita continuou passando em meu peitoral. Ele, logo em seguida, começou a passar sua mão, delicadamente, em meus pelos púbicos, e depois em meus ovos... Eu já estava ao meu máximo de excitação, então eu pedi, com a voz mais prazerosa possível: “Chupa. Põe na boca.” Não sei de onde saiu, mas aquilo estava tão bom, que eu não resisti. Ele olhou pra mim e deu um sorriso lindo, e começou a chupar meu pau. Não é possível nem explicar o que eu senti naquele momento. É inexplicável. A melhor coisa do mundo foi aquilo. Eu sentado, todo aberto, e ele ajoelhado me chupando. Peguei firme em seus cabelos e puxei-os pra cima e pra baixo, o fazendo chupar mais, pra me dar mais prazer. Ele, direto, ficava se engasgando, soltando muito cuspe no meu corpo suado e delicioso. Levantei-me e ele continuou me chupando, só que em pé, que é ainda mais prazeroso. Depois, ele me ofereceu o seu cu e eu quis comer, é claro. Arranquei fora o seu calção apertadinho e mandei-o ficar de quarto. Mas eu peguei a chave do seu calção e destranquei a porta, pra alguém nos pegar... Ele jogou tudo o que tinha em cima da mesa no chão, e subiu, ficando de quatro pra mim. Segurei firme no meu pau e meti tudo naquele cuzinho bem apertado. E era uma delícia. Comecei a meter bem forte naquele cu e ele começou a gemer bem forte, me pedindo mais, mais rola no cuzinho dele: “AI, METE MAIS, VAI, TÁ GOSTOSO, ISSO, MEU ALUNO, METE MAIS, VAI, METE MAIS PAULÃO, MAIS, OOORH, AAARH, QUE DELÍCIA, OOOORH VAAAI, METE, POR FAVOR, METE MAIS, NÃO PARA, VAI MEU MACHO...” Isso e muito mais coisas. Ele tava gritando bem alto. E aquilo me deixava com mais prazer, com mais orgulho de estar comendo um ‘frango’. Eu me deitei e ele se sentou no meu pau, virado pra mim. Fiz um “V” com as pernas e segurei firme na sua cintura, fazendo os movimentos certos naquele cuzinho esplêndido. Eu comecei a dizer: “PULA, MEU MACHO, ISSO, PULA, VAI PROFESSOR, PULA NA MINHA ROLA, PULA NA MINHA ROLA, ME FAZ GOZAR NO SEU CU, VAI, DELÍCIA, PULA, CAVALGA, ISSO, AI, VAI, TÁ QUASE SAINDO LEITINHO, ISSO, ME FAZ GOZAR PROFESSOR, VAI MEU MACHO, MEU GOSTOSO, ISSO, O SEU CUZINHO É ÓTIMO, BEM APERTADO, ISSO... CONTINUA PULANDO, NÃO PARA, VAI...” Aquilo estava ótimo, até que ele começou a rebolar em mim, e eu senti uma coisa que nunca havia sentido. Meu pau começou a sair aquela babinha transparente. Eu estava louco de excitação. E então eu olhei pra porta e vi que tava aberta. Havia um aluno nos espiando... Observando a cena. O professor saiu de cima de mim, eu fiquei em pé e ele se ajoelhou, fazendo um boquete top. Olhei bem pro aluno, que estava se masturbando na porta e chamei-o com a mão. Ele fechou a porta, entrou e tirou seu pau, que já estava duro. Fazendo o professor chupar dois paus ao mesmo tempo. Ele chupou muito o meu, e eu gozei em sua cara, que saiu muuuuuuuita porra. Nós três tomamos banho e fizemos um sanduíche. Eu comendo o tio e o tio comendo o menino. Mas isso ai já é outra história, talvez eu conte.

O RABAO DO MEU COLEGA

Ola meu nome é Caio tenho 16 anos negro 178 peso 74 kquilos sempre curti um sexo com uma pegada de macho ,eu sou fascinado em um passivo machão sem aquelas coisas de ser afeminado nem nada que curte rebolar numa pica gemendo como macho,eu tinha um colega que eu conheci na escola nova que eu entrei se chama Felipe, 16 anos branco queimado do sol com marca de sunga 180 pesava 76 quilos malhado e bem definido ,ele é bem peludo tem uma cara de sacana safadão sorriso de aparelho cabelo preto liso com aquele corte de funkeiro que todo mundo sabe cortado do lado e em cima um pouco olhos verdes ,ele sempre teve pinta de macho conhecia ele ha 1 mês e sempre vi ele pegando na escola 2 meninas por dia ele ainda me ajudou depois que conheci ele virei popular assim como ele,fiz amizade com ele porque meu colega já conhecia ele,eu sempre ia na casa dele e todo dia ele tava sosinho era depois do futebol eu sentia o cheiro daquele machão todo dia ele tinha uma bunda muito grande quem olha acha que ele que esta andando empinado mais é o rabo dele que é grande mesmo ,ele era um cara bem sacana sempre jogava o short molhado de suor na minha cara pra me zoar passava a mão no rabo ou no suvaco e colocava no meu nariz quando eu estava distraido mais eu nunca levei isso a serio eu fingia que estava bravo corria atraz dele e tentava bater nele porque ele era maior que eu e mair forte ele me segurava de um jeito que me deixava louco ,varias vezes ja fiquei sosinho com ele na casa dele a tarde jogando video game e o safado não tomava banho quando chegava do futebol em fim vamos ao que interessa ,certo dia eu estava indo pra casa dele era um dia bem quente Felipe tinha acabdo de sair do futebol acho que aquele dia foi o dia que ele ficou com o cheiro mais forte de todos,eu sentia o cheiro da cueca suada na parte do rabo so de ficar do lado dele ,chegamos na casa dele e naquele dia ele estava com um fogo chegando na sal ele ja começou a me empurrar brincando eu empurrei ele e depois ele sossegou ,começei a assistir tv ele tinha ido na cosinha derrepente ele chega por traz com aquela mão colocando em emu nariz senti o cheiro ele passou a mão em seu cusão suado tinha ate alguns pelos na mão dele ele segurou minha cabeça e esfregou a mão na minha cara eu sai correndo atraz dele fui no banheiro com o pau duraço lavei meu rosto pra disfarçar,quando sai do banheiro ele passou a mão de novo em meu rosto me segurando eu não resisti e deu uma fungada bemf orte sentindo aquele cheirão foi impulso quando olhei pra ele ele ficou me olhando e colocou a mão de volta não acreditando eu tentei fugir Felipe:ué você não cheirou cheira de novo Eu: não para com isso mano Felipe coloca a mão de novo só que ele estava com uma cara diferente eu voltei a cheirar ,ele pegou e pasou a mão no rabo denovo e colocou pra mim cheirar Eu: nossa Felipe:você gosta? de cheiro de cu?cheira de novo,curte cheirar cú de homem? Eu não conseguia nem responder Felipe pega minhas 2 mão e coloca em sua bunda ,depois ele começa a me beijar que beijo bom era aquele ele fazia eu chupar a lingua dele Felipe: vem aqui Eu segui ele até o sofa quando chegou la ele tirou o short ficou de 4 no sofa e disse Felipe: ae mata essa vontade de cheirar meu cu aproveita e ja limpa ele Eu nem respondi esfreguei a minha cara naquele cu era como eu imaginava rosadinho e peludo tinha muitos pelos que bundão era aquele,ele piscava o cusinho enquanto eu socava a lingua la dentro e o gemido dele,que tesão ele gemia como macho rebolava na minha cara,logo depois ele tirou a camisa ee eu senti o cheiro do seu suvaco Eu: deixa eu cheirar seu suvaco? Felipe:kkkk cheira ae pow Ele virou de frente e levantou o braço,eu cheirava com prazer aquele perfume de macho Eu:você não passa desodorante? Felipe:não eu não gosto eu gosto de ficar desse jeito todo dia e só tomo banho a noite pelo que eu vi a partir de hoje alguem vai me dar banho de lingua mais cedo né? Eu:concerteza Felipe:da uma fungada bem forte ahh isso assim quero ver esse sovaco ae sem cheiro heim Os braços dele eram musculosos o que me dava mais tesão ele forçava o musculo e eu chupava aquele braço inteiro,ele me deu outro beijo e mandou eu voltar a chupar o cusinho dele , Felipe: deixa meu cusão bem molhado cospe bastante vai Eu fiz o que ele pediu quando acabei ele disse Felipe: mete ae pow come o cusão gostoso do seu macho Eu sem pensar 2 vezes coloquei tudo pra dentro devagarsinho eu olhei para a cara dele ele estava com um sorriso de lado,quando cheguei até o talo ele começou a se remexer todo Felipe: machuca esse cu caralho mete que nem homem Eu começei a bombar rapido e ele gemia como um macho comendo uma femea eu estava louco com aquilo Felipe: tira minha chuteira ae Quando tirei estav com um chuké muito forte Felipe: hehe ,cheira ae Começei a cheirar com vontade depois tirei a meia e cheirei entre os dedos fiz isso nos 2 pés daquele macho gostoso ele não trocava o meiao era um machão porco,enquanto eu ceirava o chulé dele eu metia gostoso no cusão suado e peludo dele e ele só gemia gostoso,depois que o pé dele ficou sem cheiro e eu cansei de meter em pé,ele me jogou no sofa e sentou no meu pau com tudo ele não sentia dor naquele cusão só pode ser,quando ele sentou com tudo ele socou minha pica até o fundo e começou a rebolar,ele rebolava de um jeito louco demais,descia e subia bem rapido Felipe:cheira meu suvaco ae Fiquei la cheirando enquanto ele sentava gostoso,depois ele me beijou fiquei chupando a lingua gostosa dele,quando achei que ele estava cansando ele me levanta e faz eu comer ele em pé com ele no meu colo de frente pra mim,eu pirei naquela hora depois levei ele até uma parede e fiquei la metendo sem dó foi a hora que eu meti mais forte Felipe:hahaha é disso que eu to falando pow é assim que se mete num macho Eu: é assim é toma minha pica então toma Felipe: me da mais porra rasga meu cu caralho seu puto ahhh isso assim hahaha(ele falava tudo isso rindo) Depois eu coloquei ele de 4 no sofá e comi ele de 4 eu não aguentei quando ele começou a rebolar na minha pica e gozei com tudo Felipe: quero essa porra toda tudo dentro de mim Gozei dentro do cusão dele e ele segurou tudo depois sentou na minha cara soltando toda a porra e ficamos se beijando com a minha porra até ele gozar,depois desse dia nós não paramos teve muitas fodas loucas assim ainda outro dia eu conto pra voces

A VADIA DO BANHEIRAO

Sou louco por banheirão. Caçar macho em banheiros públicos é minha especialidade. Tem de tudo nesses lugares, a maioria héteros curiosos, machos de verdade atrás de uma boquinha e um cu para usar. Mas já fazia um tempo que não passava num banheirão para fazer uma festa. Morrendo de vontade resolvi dar uma passadinha para ver o que conseguia descolar. Aproveitando que estava voltando tarde da faculdade um dia desses, dei uma passadinha no banheiro da estação de trem que passo no caminho. Como já estava bem tarde o banheiro estava vazio, a não ser por um moreno feinho, porém uma delicinha, que estava no mictório. Como quem não quer nada cheguei quietinho, parando ao lado do moreno, botei meu pau para fora, e já fiquei de olho no pau do cara. Até que ele parou de mijar, e aí pensei que fosse embora, mas… me enganei. Ele continuou ao meu lado com o pau na mão, e que rapidamente começou a crescer. Não estava aguentando mais ver aquela rola gostosa e crescer perto de mim e eu não fazendo nada. Era um pau de tamanho normal e MUITO lindo, certinho, reto, com cabeção gostoso. Comecei a olhar fixamente para o pau e depois nos olhos do Moreno mostrando o que eu queria. Ele então ele falou, bem baixinho, para irmos para o reservado. Fui na frente toda puta rebolando e dando uma olhada para trás em direção ao pau. E o Moreno com um sorrisinho safado na cara. Já dentro do reservado o Moreno mandou eu sentar no vaso e colocou sua rola linda para fora de novo. Não perdi tempo e meti a boca, fazendo ir até a garganta. Brinquei bastante, deixando o Moreno com mais tesão. Ele gemia baixinho, empurrava minha cabeça de encontro ao seu pau para meter mais fundo ainda, me fazendo até engasgar. Eu estava adorando! Mas aí o Moreno mandou parar de chupar e disse que queria botar no meu cu. Não argumentei. Levantei do vaso já abaixando minha calça, e o Moreno se posicionou atrás de mim. Comecei a sentir a rola linda na portinha do meu cu. E sem avisar o Moreno socou tudo de uma vez. Me segurei para não gritar e não chamar atenção de alguém que pudesse ter entrado no banheiro. Aguentei firme e fiquei lá sentindo as estocadas do Moreno, que metia em silêncio, mas com força e sem parar. Até que numa estocada só ele acabou gozando no meu cu, e rapidamente foi tirando o pau. E ainda sem falar nada se arrumou e deu o fora do reservado. Com a porta aberta vi que tinha um outro cara, parrudo bem gostoso, com cara de macho malvado, no mictório se punhetando e olhando para mim. Ele tinha percebido tudo! E deu uma olhada em volta, acho que para ter certeza de que não tinha mais ninguém no banheiro, e sem nem eu chamar já veio em direção a mim, entrou no reservado, fechou a porta, e foi falando “Vira! Também quero foder você, vagabunda”. Fiquei sem reação com a situação, mas fiz o que todo viado deve fazer: obedeci. Baixei minha calça de novo e fiquei de costas. E o Parrudo bem mandão me segurou pelo braço bem forte, quase me machucando, enfiou dois dedos no meu cu. Quando viu como estava ele encostou a boca no meu ouvido e falou “Olha, tá larguinha. Se prepara que vai levar mais rola, vagabunda”. Não respondi. Apenas dei um sorriso e me preparei. E o Parrudo não teve dó. Mandou rola com tudo! Mas como ele já tinha dito, eu estava bem larguinha e não senti dor. Foi só gostosura. Puxando meu cabelo e socando loucamente o Parrudo levou uns 5 minutos até gozar e botando mais leite dentro do meu cu. Igual o Moreno ele não esperou e já foi tirando o pau do meu cu e se arrumou. Mas pediu meu telefone. Ele disse adora arrombar viado, e que meu cu era muito mais gostoso do que o da esposa dele. Com essa ÓBVIO que passei meu telefone. Após o Parrudo sair do reservado me arrumei e fui jogar uma água no rosto para me recompor. E assim encerrei a noite da melhor forma possível.

domingo, 21 de setembro de 2014

CHEFE MANDAO,EMPREGADO FOGOSO PART 2(JOGO DE PROVOCAÇOES)

Os dias corriam normalmente e a putinha do meu sobrinho me provocava mais e mais .. Deixava a caneta cair agachava pra pegar empinando a bunda pro meu lado .. Passava e roçava a bunda na minha rola .. Dava apertões no meu saco .. Um dia desses entrei na minha sala e ele tava lá de frango assado encima da minha mesa enfiando dois dedos no cu .. Quando me viu meteu logo 3 dedos e me chamando: - ai titio não me deixa aqui com esse tesão .. Fode logo meu rabinho Fode .. Não paro de pensar nessa piroca .. No gosto dela .. Goza na minha boca .. Me Fode caralho .. Eu via aquilo morrendo de tesão . Minha calca me denunciava. Ainda assim o puto ia sofrer muito ate que eu pensasse em foder aquele cu .. Tava doido pra comer aquela bunda linda, grande, aquele rabinho Rosinha, mas ia ser do meu jeito. - espero que tenha terminado logo meus relatórios ao invés de ficar feito uma prostituta se oferendo pra mim. Vaza logo da minha mesa. Anda .. Xispa. Ele vestiu a roupa puto da vida mas ia fazer o que .. O macho ali era eu .. E se quisesse levar rola ia ser ser meu jeito. Passou 1 semana e o puto me provocava ainda mais .. Ia de calcinha, ou com cuecas que tapam o pau mas a bunda fica de fora .. Direto ficava de 4 ou de frango assado pra mim .. E eu continuava na minha. Ate que resolvi entrar no jogo .. Era por volta das 18hrs ( horário que termina o expediente ). ele ainda tava na mesa dele (qe fica de frente pra minha). Abri o zíper da minha calca social tirando o pau e as bolas pra fora,mas deixando a calça. comecei a bater uma puta punheta com todo tesão acumulado que eu tinha .. Batia e balançava o pau como que oferecendo pro puto . Quando ele se levantou pra vir em minha direção - Onde pensa que ta indo? - Mamar na sua rola. Você ta ai batendo punheta, eu pensei .... - Pensou um caralho. Te pedi Pra vir Me chupar? Pedir pra você se levantar? - Não faz isso cmg. Me deixa sentir o gosto dessa rola .. Olha como ta babando .. Deixa eu passar a lingua .. Sentir cada cm desse pau e depois sentar com tudo nele. Metendo ele bem no fundo do meu cuzinho? - Vaza. Vai pro seu lugar. Quero me aliviar em paz .. - Por favor .. Deixa ? - se falar comigo denovo encho tua cara de soco. Vaza .. Da forma que ele me provocou eu também provocava. Cuspia na cabeca do meu pau .. Punhetava .. Apertava meu saco .. Batia com a rola na mao. Tudo olhando pro puto. Quando ele não se aguentou começou a tirar a roupa e ficar com o cu aberto pro meu lado. . - Alguem mandou você tirar a roupa? Veste agora .. E fica na sua.. Quando eu terminar de dar uma gozada bem gostosa você tira a roupa e faz o qe quiser.. Por enquanto fica na sua. - puta que o pariu. - Calado porra .. hssss hssss hssss aaaai porra aaaai caralho .. Vou gozar vou gozar hssss hssss hssss .. .aaaaaaiiii puta que o pariu. que gozada do caralho .. Quando guardei o pau pra dentro sai do escritório pra ir ao banheiro.. Quando voltei o puto tava no chão lambendo onde os jatos de porra voaram ... - Ta ai ne puta. Doida pra ser fodida feito uma safada que é .. Quer gozar quer!? - Quero demais .. Me faz.gozar faz? Por favor .. Me faz .. Você ta me enlouquecendo .. - vira de 4 ai que vou dedar esse teu rabo pra tu gozar .. Ta vendo .. Não sou tao mal assim. . Anda .. Goza logo .. - Mete o pau vai .. Por favor - Ta achando ruim? Se quiser eu paro.. Eh o dedo ou nada. - mete esse dedo vai .. Isso hssss hssss aaaai Delicia .. Me faz gozar feito uma puta faz .. Eu dava tapas na cara do puto cm a outra.mao .. Cuspia na mao e metia no rabo daquela vadia .. Cuspia na boca dele que engolia tudo. . ate que o puto gozou como nunca tinha visto. . - aaaai tio tesudo. To.gozando ai hssss hssss hssss que delicia .. Ai ai .. Hssss. Que tesão gostoso .. Dei um tapa na cara do puto e uma cuspida.. - Arruma tuas coisas e Vaza. Chega amanha na hora. E ai galera. O que tao achando da continuação? E.o finalmente? Chega ou não chega? Dêem suas opiniões e críticas :)

CHEFE MANDAO,EMPREGADO FOGOSO

Me chamo Wallace. Tenho 36 anos. Malho e possuo um corpo bacana. Sou branco, 1,87 de altura,coxas grossas .. Chamo atenção e me considero muito gostoso. Possuo um pau de 21cm bem grosso que ninguém nunca reclamou. Meu irmão e eu possuímos uma empresa de contabilidade, onde somos sócios. Trabalhamos só nós dois e sempre deu certo. Não somos ricos mas temos uma ótima condição financeira. Em certa época meu irmão precisou sair da Contabilidade pois havia recebido uma proposta de trabalho em outro estado. Como era divorciado,aceitou. Mas com a condição de seu filho trabalhar comigo. A princípio não gostei mt mas fazer o que .. Ele também mandava. Marquei com meu sobrinho a entrevista e conversamos sobre a empresa e todas as coisas sobre o trabalho. Ficou acertado dele começar no dia seguinte. Minha empresa funciona no escritório da minha casa. Como sou solteiro e o transito eh ruim trabalhar em casa pra mim é otimo. Meu sobrinho tem seus 19 anos. Baixinho, 1,69 de altura. Chama Rafael. Também malha e tem um corpo bacana. Uma bunda enorme que explode na calca social que ele usa. O moleque tem um rabão que deixa qualquer um doido pra estourar aquele rabo. O moleque era gay assumido meio afeminado mas smp respeitamos.. Os dias foram passando e o trabalho não fluía .. O cara não tava dando conta do serviço e isso me deixava irritado. - Rafael o que ta pegando? Não te vejo se esforçando e o serviço não ta rendendo. O que ta pegando? - Ai tio. - Tio não. Aqui sou seu chefe e voce meu empregado. - Desculpa chefe (num tom irônico). To com problemas do coração. - Rafael todos tem problemas e isso não é motivo pra não fazer nada. Trabalho é coisa seria e sua vida pessoal tem que ficar do lado de fora. - Chefinho posso desabafar com você? Talvez ajude e eu possa me aliviar. Por favor? - Ok Rafael. Diga. - Eu conheci um cara esses dias. A gente saiu .. Fomos pro motel. - Rafael isso não eh assunto pro horário de trabalho. Pra mim era outras coisas. Sua vida pessoal não me diz respeito. - Preciso desabafar e só tenho o senhor pra isso. Me ouve só um pouco? - Ok. Vamos lá. Continue.. - Fomos pro motel e ficamos .. Ele me pegava bem gostoso. Me beijava. Começamos um sarro delicioso. Tirei seu short deixando cair seu pau de 19 cm não mto grosso mas o maior que já vi até hoje. E transamos gostoso. Chupei o pau dele todinho. Engolia. Engasgava. Batia na minha cara e depois sentei gostoso. Cavalgava .. Gemia naquele pau .. Rebolava. Depois ele me pegou de 4 e me Fodeu dms. Meu cuzinho piscava de tanto tesão. Ele gozou gostoso na minha boca .. Mas não me deixou gozar. Fomos embora e ele sumiu. Me senti usado por ele. Meu pau estava tao duro que marcava a calça social. O puto contou cada detalhe e aquilo fez meu tesão subir. Mas era meu sobrinho e eu seu chefe. Me concentrei e continuei conversando cm ele. - Te entendo Rafael. Espero que tenha aliviado. Vamos voltar ao trabalho. Peço que se concentre e termine os relatórios que te passei pois o prazo está no fim. Preciso com urgência. Não quero chamar sua atenção novamente. - Pode deixar chefinho, vou fazer tudo o que você quiser. O puto tinha visto o volume na minha calça com certeza. Mas não quis mais render o assunto. E voltamos ao trabalho. Os dias passaram normalmente mas o puto começou a me provocar .. Falava frases de duplo sentido ou coisas do tipo. Eu fingia claro de bobo e tentava contornar a situação. Havia pedido ao Rafael que terminasse umas coisas pra mim e o puto não fez.. Aquilo que me deixou irado .. Era sexta feira. Eu tava puto pq não comia ngm a alguns dias .. Tava na seca .. Tava invocado com o puto .. Tudo dando errado .. - Rafael o que eu disse pra você sobre não prestar atenção no serviço? Você ta louco? Isso aqui eh coisa seria. Se não da conta pede pra sair .. - Foi mal titio. Ta nervoso porque? Suas putas não tao dando a xoxota pra você? Não tenho culpa . - Moleque me respeita. Pensa que ta falando com quem? - Com um puto delicioso que ta na seca ao invés de foder meu rabinho guloso. - Já disse pra me respeitar senão te encho de porrada .. - Bate .. Vem .. To doido pra apanhar. Da uma surra de pica .. Vem .. Dps que vi o seu volume nunca mais tivesse sossego. Me come.. Me faz tomar juízo vem .. Aquilo tava me excitando o puto sabia como fazer um macho ficar excitado. Mas pra não cometer nenhuma loucura fui ao banheiro passar uma agua no rosto .. - ficou com medo ne Títio. Sabe que não ia dar conta de comer meu rabinho. Não deve ter mais folego pra isso .. O puto me provocava e eu ficava na minha .. Terminei de lavar o rosto de voltei pro escritório .. - Oi titio delicia. Come meu rabinho? Aquela cena me deixou imóvel. Não acreditava. O safado tava de 4 na minha mesa com aquele rabo branco todo empinado .. - você é louco Rafael. - louco por você titio. Nessa hora já não pensava com a cabeca de cima .. Dei dois tapas naquele rabo branco e meti a lingua naquele cuzinho. Chupava como se o mundo fosse acabar. - Ai titio que dlc . Dei dois tapas na cara do puto.. - Titio um caralho .. Sou teu chefe e tu vai me tratar como tal. - isso chefinho .. Chupa meu cuzinho chupa .. Dei mas dois tapas . - Só fala quando eu mandar. Quem anda aqui sou eu porra. Chupava e dedava aquele cu e o puto pedia mais e mais .. - vem ca putinha . Desabotoa minha calca que eu tenho uma surpresa pra você. O puto ia abrindo meu zíper e lambendo o pau por cima da calça .. Massageava .. Me olhava e ria .. Me deixava louco.. - Isso putinha. Desabotoa .. Isso .. - Nossa chefe.. Que pau gostoso. Nunca tinha visto um desse tipo.. Que delicia. - Gostou da surpresa? Mama ai vai .. - delicia de surpresa títio. Me da pau .. Da .. Hssss hssss - Gostou? Que bom. Pena que Acabou .. Guardei o pau deixando o puto sem saber o que fazer .. - Não tava bom titio? Pq guardou? - Atoa. É pra você saber quem manda! Só vai ter mais quando eu quiser. Entendido? - não me deixa assim .. To com muito tesão. Acaba comigo. Mata meu fogo. Mais dois tapas e uma cuspida na cara. - Quem manda sou eu. Quando eu quiser mais e se eu quiser mais .. Talvez te coma. Por enquanto termine os relatórios. Preciso deles com urgência. Bem pessoal, por enquanto é só. Mas talvez eu faca a continuação. Abraços.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

EDUCAÇAO SEXUAL

KAZAK

CABIN FEVER

COM O MELHOR AMIGO EM CASA

NO BANHEIRO DO SHOPPIN

SEXO NA MATA ....

DORMINDO NA CASA DO PRIMO CASADO

Meu nome é Breno sou branco fortinho e grande para minha idade, mas tenho cara de novinho. Vou contar o que aconteceu comigo há algum tempo atrás quando eu fui na casa do meu primo. Meu Primo Edgar que chamamos de Ede ele é casado, branco, sempre curtiu manter a forma, peito peludo, muito bonito, ligou em nossa casa dizendo que sua esposa tinha ganhado neném, seu primeiro filho tinha nascido fomos então para vermos o bebezinho que era lindo a cara do meu primo. Ede estava muito feliz, agitado meus pais disseram que era por causa do estress dos últimos dias com um recém nascido em casa, mas alem disso percebi que Ede toda hora coçava o saco ou ajeitava o pau duro na calça ou bermuda, peguei ele varias vezes olhando para minha bunda que modéstia parte sempre foi empinada com uma cara de tarado que eu não via a muito tempo. Antes dele se casar bem antes, eu tinha visto aquela cara ele chegou a passar a mão em minha bunda e eu paguei uns boquetes para ele na época, mas nada alem disso aconteceu muito menos depois que ele se casou. Como eu ainda tinha aula voltei com meus pais, porem meu primo disse que se eu quisesse poderia voltar nas férias que seriam duas semanas depois. Chegando as férias eu já todo animado viajei para a casa do meu primo, eu amava ir nas férias naquela cidade, morar eu preferia onde eu morava pois tinha mais recursos, porem um tempinho lá era ótimo conhecia muita gente la e como a esposa do meu primo ia para a casa da mãe dela para as duas cuidarem melhor do bebe e dela só voltando a noite eu aproveitava e ficava o dia todo de casa em casa, parentes amigos, ia em vários lugares matar a saudade e me divertir. No segundo dia que estava na casa do meu primo já era noite eu estava na sala dormindo de cueca coberto por um lençol estava muito quente aquela noite meu primo e a esposa dele já tinham ido para o quarto dormir de repente escuto a porta do quarto se abrir e a luz iluminar o corredor finjo dormir escuto passos que vem em minha direção e param, os paços voltam e vão se distanciando entreabro os olhos e vejo meu primo indo para o banheiro. Vejo Ede só de cueca entrando e volto a fechar os olhos logo depois o escuto voltar e sinto ele sentar na beirada do sofá continuo com meus olhos fechados, mas só de saber que ele esta ali tão perto meu coração acelera ainda mais por saber que sua mulher esta a poucos metros dali ele me chama baixinho pelo meu nome como em sussurro, mas continuo a fingir dormir ate faço barulho de respiração para que ele acredite e acho que da certo meu primo coloca suavemente sua mão por debaixo do lençol e alisa suavemente minhas cochas, eu que não sou bobo me viro fingindo dormir e me ajeitar no sofá alem de tentar esconder meu pau que já esta durinho dentro da cueca. Meu primo tira a mão rápido com medo que eu tivesse acordado creio eu, mas ao perceber que continuo "dormindo" volta a me tocar e desta vez alisando minha bundinha que esta com a metade da cueca enfiada em meu rego ele se aproveita e me alisa me deixando todo arrepiado. Ede vai passando a mão se aproximando de meu rego tira a cueca enfiada e substitui por seu dedo molhado com saliva e começa a dedilhar meu cu que pisca pedindo por mais começo a gemer baixinho não tendo mais como fingir meu sono abro meus olhos e vejo meu primo com seu sorriso safado sorrio de volta e vejo que com a outra mão ele esta se punhetando mexendo aquele cacete que já solta aquele melzinho não me controlo e me viro abocanhando seu caralho e ele continua a me dedilhar enfiando mais profundamente seus dedos e fazendo movimentos em meu cuzinho me deixando ainda mais louco de tesão. Capricho no boquete mamando gostoso em minha mamadeira de carne masturbando o que deixo para fora e alisando seu saco. Ede geme baixinho se arrepia todo e goza em minha boca não deixando que eu tire seu cacete da boca me fazendo engolir toda sua porra, o neném chora e meu primo vai correndo para o quarto dele e eu volto a fingir dormir. È claro que não há como eu conseguir dormir com todo o tesão que estou sentindo e assim que o bebe se cala e meu primo volta para seu quarto vou para o banheiro e bato uma deliciosa punheta pensando nele. No outro dia logo cedo acordo e vou fazer café, já sou acostumado a fazer isso lá em casa, pois sou o primeiro a acordar lá e não custa nada da uma mão ne? Estava coando o café quando sinto algo duro no meio da minha bunda e mãos grandes segurarem minha cintura tomo um susto, pois não estava esperando, então meu primo diz em meu ouvido: _ Sou eu safadinho e hoje você não me escapa vou sair mais cedo do trabalho e tem alguém aqui que esta louco para conversar com você, esta sentindo? Disse meu primo esfregando seu pau em minha bunda. Logo ouvimos passos e ele sentou na mesa tomamos café e cada um seguiu seu rumo. Logo após o almoço vejo uma mensagem em meu celular _ Estou indo para casa _ Me despedi de meus amigos e corri para a casa do meu primo e já fui logo para o banheiro. Eu ainda estava no banho quando ouço alguem chegar e a porta do banheiro se abrir: _ Meu bem você esta ai? _ Não Ede ela esta na casa da... Nem terminei de falar e ele já entrou tirando a roupa e me dando um beijo com muito desejo na boca, disse que sabia que sua mulher estava na casa da mãe e que ela só viria mais tarde, peguei o pau de Ede que já estava duro e comecei a masturba lo. Meu primo me abaixa e começa e me foder a boca metendo seu cacete como se estivesse metendo em uma buceta, logo depois me vira de costas para ele abre minhas pernas e começa a lamber meu cu enfia seus dedos abre bem meu cuzinho pega um shampoo e soca todo seu cacete de uma vez, sinto seu saco tocar minha bunda. _ Desculpe primo, mas eu to na seca a algum tempo, to quase surtando aqui. Depois de dizer isso começa e bombar rápido em meu cu seu saco batendo em minha bunda e a água caindo em minhas costas suas mãos em minha cintura me trazendo de encontro ao seu corpo me levavam a um prazer nunca antes sentido. Ede me vira de frente e mais um beijo ardente, desce e chupa meus mamilos e da pequenas mordidinhas neles. Me pega no colo e começa a me foder de frente para ele apoiado com as costas na parede beijo sua boca enquanto sinto seu cacete me penetrar me coloca de quatro e mete bem rápido e urra forte inundando meu cu de porra. Terminamos nosso banho e fomos dormir um pouco para descansar, dormimos com meu primo com seu cacete no encaixado no meu cu. Coloquei o celular para despertar em duas horas e ainda deu tempo de antes da esposa do meu primo chegar eu ainda pagar mais um boquete para ele. No outro dia quando meu primo chegou do trabalho sua esposa já estava em casa e não deu para fazer muita coisa, mas ele estava muito tarado e toda vez que ela ia para dentro enquanto estávamos na sala ele colocava minha mão dentro de seu short ou colocava o pau para fora para eu masturba lo, riamos feito bobos com aquela brincadeira e sua mulher dizia quando chegava que éramos dois crianções e riamos mais. Na quarta feira eu estava dormindo quando meu primo me acorda e com os dedos nos lábios me diz para fazer silencio e faz gestos para que eu o siga. Ede me leva para o quintal me apóia no tanque desce minha cueca e soca em meu cu forte e rápido e com uma mão em minha boca ate gozar em meu cu me vira e me senta no tanque e bate uma punheta para mim ate eu gozar beijando minha boca. No fim de semana meu primo consegue dar uma desculpa e me levar para um rio perto da cidade, ficamos em uma área mais escondida e deserta ficamos pelados e tomamos banho na água gelada mas com o calor nem nos importamos e logo meu primo me aquece com seu corpo deitando por cima de mim, seu peso seus pelos molhados seu cacete entrando e saindo de mim delicia e finalmente eu posso gemer alto e ele urrar com sua voz forte em meus ouvidos como um urso me dando ainda mais tesão e fazendo com que eu goze muito depois de me comer em varias posições. Ate o dia de eu ir embora fodemos muito em vários lugares escondidos foi muito gostoso, mas sei que isso só aconteceu porque ele não podia transar com sua esposa naquele momento já fazem três meses isso e eles viram esse final de semana aqui em casa será que rolara algo? Creio que não, mas caso aconteça algo volto a escrever. Autor: Mrpr2

MEU IRMAO,MEU TESAO

Meu nome é Gabriel sempre curti esportes futebol, basquete, natação brincar de bete na rua cresci brincando com estas brincadeiras e hoje sou um profissional do interior, ganho dinheiro com o que gosto ainda não tenho a fama a gloria muito menos a grana dos mais conhecidos que jogam em times grandes, mas jogo minha bolinha. Tenho um irmão chamado caio que é mais novo que eu diferente de mim caio não era muito fã de esportes o único que ele gosta é natação. Caio sempre foi na dele, tímido as vezes penso que o protegi, mimei demais principalmente depois que nossa mãe nos abandonou, sumiu no mundo com o vizinho nos deixando com meu pai que nunca foi um cara carinhoso com nossa mãe , conosco nem mesmo com nossa madrasta que ele arrumou um mês depois que ficou separado. Meu irmão é meigo e carinhoso alem de lembrar muito minha mãe creio que este conjunto fazia com que a ira de meu pai fosse maior e sempre que ele fazia alguma arte ou as vezes apenas por meu pai estar irritado partia para cima dele e eu claro o defendia. Como nosso pai passou a beber mais frequentemente e por diversas vezes o peguei no quarto do meu irmão batendo nele achei por bem traze lo para dormir em meu quarto e muitas das vezes ele dormia junto comigo. Muito carinhoso principalmente quando estávamos a sos acabei permitindo varias coisas que talvez não devesse principalmente tomar banho juntos, a dar selinhos e dormir abraçadinhos de conchinha, mas ao mesmo tempo queria que ele tivesse um pouco de afeto carinho e confesso que aquilo também me fazia bem, porem com o tempo percebi que a coisa estava ficando mais seria. Digo isso, pois comecei a me excitar no banho e enquanto dormíamos de conchinha com meu pau duro encostando em sua bundinha arrebitada, Caio por sua vez nem se mexia no começo, mas em algumas ocasiões fazia certos movimentos como se rebolando em minha pica dura o que me fazia sair correndo e bater uma punheta no banheiro para tentar dormir. Nossos selinhos começaram a ficar mais longos e aos poucos se tornar beijos, que só aconteciam quando estávamos a sos era gostoso, mas ao mesmo tempo depois vinha um gosto de culpa. Para tentar tirar pensamentos que eu não queria em minha cabeça e achava errados iniciei um namoro com Isadora uma garota bonita, estilo “Maria chuteira” que me acompanhava já a algum tempo eu já havia ficado com ela algumas vezes, porem não tinha intenção de namorar com ela, mas nesta situação pensei que ela fosse a melhor opção afinal ela era muito fogosa, safada e gostosa que homem pensaria em outra coisa namorando com ela eu pensei. Este meu namoro me afastou um pouco de Caio no inicio ele ficou chateado nitidamente e ainda mais recolhido me dizendo que eu o havia abandonado, expliquei para ele que sempre estaria com ele, mas que eu precisava de alguém na minha vida e ele também, Caio logo mudou de assunto, mas antes de dormirmos disse que tudo bem que se ela me fizesse feliz que ele ficaria feliz por mim também me deu um beijo na boca e se aconchegou no meu peito se laçou com meu braço logo iniciou seu sono comigo de conchinha com ele. O tempo passou logo percebi algumas mudanças em Caio, demorava mais a chegar em casa, quem nunca saia passou a ter passeios ate mesmo no meio da semana, sempre no celular escrevendo mensagens ou falando baixo pelos cantos estranhei pois antes nem gostava de atender o telefone dizendo que não era para ele eu perguntava e ele apenas me respondia que eram amigos e quando eu o apertava dizia com um sorrisinho que Isadora estava me chamando. Um dia cheguei em casa e corri para o quarto pois desde a porta ouvia choro e gritos era meu pai batendo em Caio, eu perguntava o que estava acontecendo e tentava segurar meu pai, mas ele estava fora de si tentando escapar para bater mais em caio gritando que ele era um safado, viado, que não tinha criado filho bixa. Gritei para caio sair, fugir que logo o encontrava. Depois que convenci meu pai que iria conversar com Caio o deixei sob vigia de nossa madrasta e pedi que caso meu pai saísse ela me ligasse. Encontrei Caio no clube o vigia me disse que havia deixado ele entrar pois ele estava chorando e tremendo muito e cheio de marcas no corpo. Cheguei correndo e o abracei ele gemeu de dor beijei sua testa e perguntei o que estava acontecendo. Caio me disse que nosso pai havia o pegado na cama com seu namorado, ele estava insistindo muito e como Caio também queria resolveu ir la para casa pensando que meu pai iria chegar tarde porem se descuidaram da hora e quando nosso pai chegou guiados pelos gemidos de Caio que tinha esquecido a porta do quarto aberta pegou o namorado metendo em sua bunda. Caio disse que nosso pai arrancou o cinto no mesmo instante e saiu dando cintadas nos dois seu namorado conseguiu pegar somente a calça e saiu pulando debaixo de cintadas, mas ele não teve tanta sorte nosso pai o encantou e se eu não chegasse ele não sabia o que poderia acontecer. Em prantos me abraçou com cuidado pelos ferimentos do cinto. Caio disse que depois que chegou ao clube tentou contato com o namorado mas ele não atendeu mandou então mensagem e recebeu apenas uma dizendo que não queria mais vê lo, não queria problemas nem nosso pai louco na cola dele e para Caio não o procurar mais. Disse a ele que aquilo era apenas raiva do momento e que depois eles se acertariam com mais calma. Os dias se passaram mas a convivência em casa era cada dia pior meu pai olhava com ódio para Caio e tudo o que meu irmão fazia parecia irritar mais meu pai eu já não conseguia me concentrar no trabalho ou em meu namoro com medo de que meu pai fizesse algo contra Caio em minha ausência resolvi comprar uma casa e me mudar com Caio. Caio ficou muito feliz com a noticia, mas Isadora não gostou de não permitir que ela viesse morar conosco. O namorado de Cio realmente sumiu nem voltou para a natação. Isadora começou a implicar com Caio e comecei a perceber que ela “dava moral” a outros jogadores o que me fez decidir pelo termino de nosso namoro. Caio e eu passamos a morar juntos, mas como tinham dois quartos e meu pai não moraria ali decidi que cada um dormiria em seu quarto. Eu chegava do trabalho ele estava fazendo a janta o cumprimentava com um beijo que ele fazia questão de ser na boca, fazia massagem em minhas costas e nas minhas pernas, os dias passando e sem uma mulher para descarregar a punheta não estava fazendo mais efeito já estava subindo pelas paredes sempre de pau duro e percebia que Caio enchia a boca d’gua e vidrava no meu volume, porem fingia não ver. Um dia chovia e relampejava muito caio apareceu em meu quarto queria dormir comigo disse que não, era melhor ele dormi no seu quarto ele disse que não queria dormir sozinho e um relâmpago fez ele vir se esconder em meu peito. _ Um marmanjão destes com medo de uma chuvinha um riozinho deste? Kkkkkk _ Bobo, não é medo só me assustei. Caio fez aquele biquinho mais lindo e não resisti dei um beijo nele, nos aconchegamos de conchinha sua bundinha arrebitada acordou meu cacete tentava não pensar não pensar naquilo, mas ele mexendo levemente como se estivesse rebolando me dominou e tentei levantar com intenção de ir me masturbar no banheiro um trovão fez com que Caio se segura se em mim dizendo para eu não o deixar sozinho e escondeu seu rosto em meu peito, logo começou a beijar meu peito eu me excitando mais e mais a cada segundo, caio passou a mamar em meus mamilos mordiscando na pontinha dele me fazendo gemer de prazer , foi descendo com sua boca macia ate chegar em minha cueca, a retirou segurou o meu cacete e ficou masturbando queria dizer para ele parar mas as palavras não saiam, Caio tirou o prepúcio deixando a mostra a cabeça de meu pênis rosada e brilhante por já estar babando para fora e lambeu aquilo me alucinou iniciou uma chupada na cabeça do meu pau e logo já o acomodava todo em sua boca quente e macia, lambia minhas bolas minha viria subiu em cima de mim e me beijou ,nos beijamos como nunca havíamos feito antes com carinho, mas com tesão com vontade , meu pau brincava em seu reguinho ele o excitava esfregando sua bundinha nele, estava excitante gostoso esfreguei a cabeça melada do meu pau na entradinha do cu de Caio e aos poucos fui invadindo seu buraquinho, Caio abria sua bunda com as mãos e sentava ate encostar sua bunda em meus pentelhos e começou a rebolar em meu cacete jogava seu corpo para frente e para trás subindo e descendo em meu caralho cavalgava gostoso. Segurei sua bunda e movimentei meus quadris em direção a sua bunda metendo rápido Caio gemia e pedia mais, então levantei o coloquei de frango assado abri suas pernas e as segurei olhando para seus olhos meti freneticamente ele gemia mais e mais ate gozar em meu peito sem ao menos tocar em seu pau logo depois eu gozei enchendo seu cu de porra e cai sobre ele. Caio me abraçou e disse estar muito feliz, pois era o que ele mais queria. Hoje moro em outra cidade com Caio ninguém sabe de nosso envolvimento sexual, como Caio todos os dias me viciei em sua bunda e sua boca chego em casa louco de tesão o encocho na beira do fogão o viro de frente e dou um beijo ardente em meu irmãozinho. Amo quando estou sentado de pernas apertas só de short no sofá e Caio vem se ajoelha entre minhas pernas e me paga um delicioso boquete. As vezes penso ser errado o que fazemos, penso em arrumar uma esposa e pedir para Caio tentar fazer o mesmo ou que seja arrumar um namorado que não seja eu mas ai olho em seu rostinho de anjo sinto meu coração bater mais forte e vejo que tenho um carinho maior do que de um simples irmão, que ninguém vai respeitar e protege lo como eu, que não é apenas desejo é um sentimento maior é amor. Autor: MrPr2