sábado, 29 de agosto de 2015

APIROCA DO MEU SOBRINHO CRESCEU BASTANTE

Este conto aconteceu recentemente e foi muito gostoso. Tenho uma diferença de 10 anos para o meu sobrinho e, quando ele tinha 13 anos, o ensinei a bater punheta. Isto aconteceu quando ele me pegou no flagra batendo uma punheta quando estava sozinho em casa e ele estava brincando na rua. Coloquei um filme pornô para assistir e comecei a me punhetar bem gostoso. Quando dei conta ele estava me espiando pela porta. Quando o vi, ele ficou meio sem graça mas o convidei para vir assistir comigo. Logo notei um volume que se formava em seu shorts. Perguntei se ele já tinha feito aquilo e ele me disse que ainda não. Então disse para ele tirar o seu pintinho de dentro do shorts. Para minha surpresa, já era um pau bem avançado para a sua idade e tinha uns 16cm e não muito grosso. Pedi par ele se sentar perto de mim o que ele fez de prontidão e disse para ele ver como eu fazia e fazer igual. No começo ele estava batendo meio desajeitado e sem muito sincronismo, então eu peguei o seu pau e comecei a bater uma punheta para ele. Que delícia de pau, bem duro e não muito grosso. Ele começou a se contorcer e gemer de prazer. Não aguentei e fiquei de joelhos na frente dele e enfiei aquele pau na minha boca. Comecei a chupar bem devagar enfiando tudo na boca e babando muito naquele pau gostoso. Os gemidos dele aumentaram e logo ele encheu a minha boa de porra. Que delícia..... Repetimos isto algumas vezes depois. Hoje, ele já é casado mas, no mês passado, saímos para ver uma roupas para ele pois tínhamos um aniversário onde sua esposa ia se arrumar na casa da mãe e já ia direto. Para facilitar, levei minhas roupas e ia tomar banho na casa dele e seguir para o aniversário com ele. Resumindo...... chegamos na casa dele e, enquanto ele foi tomar um banho, fiquei jogando videogame. Logo aquela cena dele criança veio à minha mente e fiquei de pau duro só de pensar. Quando ele saiu do banho, entrou no quarto apenas com uma toalha enrolada e disse que eu já poderia ir para o meu banho. Estava terminando uma fase do jogo quando ele disse que ia se trocar. Quando ele tirou a toalha, fiquei espantado em ver como aquele pau, de criança, cresceu.... Estava meia bomba e já estava enorme. Ele, percebendo que eu fixei o olhar me disse "viu como cresceu, tio ?". Eu concordei e disse que além de ter crescido, parecia mais grosso também. Ele disse que agora sabia bater punheta de verdade e me pergunto se eu queria ver. É claro que eu disse que sim e ele começou a se masturbar enquanto seu pau foi acordando. Eu já estava de pau duro e comecei a alisar meu pau por cima da calça. Logo o pau dele já estava duro como uma pedra e devia medir uns 21cm mais ou menos. Não conseguia tirar os olhos dele batendo aquela punheta quando ele me disse se eu não queria ajudá-lo. Mal terminou de falar e eu já estava segurando aquele pau delicioso e batendo uma punheta bem gostosa para ele. Pedi para ele se sentar na cama e eu caí de boca naquela ferramenta deliciosa. Desta vez, mal cabia na minha boa de tão grande e grosso. Não demorou muito e senti um jato de porra quente batendo na minha garganta. Tirei o pau dele da boca e deixei espirrar na minha cara. Como não parava de gozar, coloquei a boca de novo e tomei todo o resto do leitinho. Terminado, olhei para ele e dei uma risada de felicidade e fui para o banheiro tomar o meu banho. Minha vontade agora é de sentir aquela delícia fodendo o meu cú. Quem sabe ainda não consigo.... Quem curtiu e quiser comentar algo fique à vontade.

NA COZINHA ENQUANTO A GALERA JOGAVA VIDEO GAME

Olá, galera! Bora ler mais um dos meus relatos? Lembrando que todos são VERÍDICOS e nada inventado. Eu realmente amo me arriscar, mesmo não sendo assumido. O risco de ser pego ou no flagra me excita demais! Sou o Brenno, 23 anos, moro em Florianópolis, sou branco, corpo normal e cabelo castanho estiloso todo arrepiado. Mudei pra Floripa há pouco tempo, pra fazer outra faculdade. Modéstia à parte sou boa pinta e tenho charme pra conversar, então faço amizade fácil. Estou morando em um apê pequeno mas bem aconchegante, daqueles bem de jovem mesmo, cozinha americana (com balcão). Tem uma pequena varanda (cenário de outros contos que depois eu relato aqui) e uma sala com uma TV top e meu Xbox. Quase todo fim de semana meus amigos vêm pra jogarmos videogame. Quem já visitou Floripa sabe como os caras daqui são lindos. Fora que por ser cidade litorânea, muitos sabem surfar e têm aquele corpo fenomenal. Meus amigos são tudo desse naipe, então me controlo pra não dar bandeira. Preciso dizer como é quando junta um bando de héteros gostosos num sábado à tarde? Aquela zoeira, brincadeiras maliciosas, contando vantagem, falando que comeu não sei quem, que a guria de tal andar chupou ele na escada e aí vai. Neste último sábado estávamos eu, o Jorge, Pablo, Renato, Aurélio e o Giovani. Todos do mesmo curso que eu. Durante o jogo rolava apostas bestas, tipo ficar de cueca durante a próxima partida quem perdesse, ou ter que dar uma cheirada no saco do outro ppr cima da cueca, mas nada que envolvesse toques ou oral. Mas claro, não tinha como não reparar na mala deles. Alguns ficavam meia bomba, mas isso é natural quando acontece essas zoeiras. Não quer dizer que os caras são gays, então nem me empolguei. A mala que mais me chamou a atenção era a do Renato. Quando ele perdeu e teve que ficar de cueca, deu pra ver que ela era bem grossa e ficava guardada pro lado esquerdo. Mesmo sem estar duro, quase chegava na lateral da cueca. Era descomunal. Todos zoaram ele, chamando ele de tripé. Aí o Pablo deixa escapar: - Vocês tinham que ver quando comemos a Amanda no terceiro andar. Ele quase arrombou a menina! Quando fui meter, tava larga já! Todos riram alto, e eu aproveitei pra puxar o assunto. Me interessou imaginar que eles já tinham transado juntos, mesmo que fosse pra comer uma menina. - Quer dizer que vocês pegam as meninas juntos? - perguntei - Pior que não, Brenno. Eu tava lá de boa metendo na guria quando chega o zé roela do Pablo pra embaçar a transa. Aí ele ameaçou contar pro namorado da menina que ela estava dando pra mim e que não contaria se ela liberasse pra ele. Aí tive que ver ele comendo a menina também! - respondeu o Renato rindo Aquele assunto estava me excitando. A mala do Renato já estava dura, e a cabeça quase escapando pela parte debaixo da cueca. Aquele cara lindo, sarado, sem camisa de boné branco pra trás todo estilo surfista e de pau duro na minha sala, e eu me controlando ao máximo. O Giovani que estava sentado do lado do Renato, quando olhou a situação fez cara de nojo e falou: - Sai pra lá com esse trambolho, mano! Affff Todos riram e o Renato levantou pra ir ao banheiro. Todos começaram a zoar falando que ele ia bater uma pra acalmar o bicho, e ele zoando segurando a mala e balançando falou que não seria uma punheta que aliviaria ele. E olhou pra mim zoando dando uma piscadinha, enquanto os outros caras jogavam video-game. Encarei como zoeira a piscada, mas pensei que dali poderia sair algo... Resolvi ir pra cozinha fazer um suco pra galera. Do balcão eu via a galera sentada no sofá jogando e gritando com os gols e dribles. Quando o Renato saiu do banheiro, foi me ajudar. Ele de cueca ali, ainda de pau duro, me ajudando, e eu me controlando... Resolvi ligar o "foda-se" e partir pro ataque. Derrubei água "sem querer" nele e acabou molhando a cueca, branca, que ficou transparente. Apertei o pau dele e falei: - Deixa que eu enxugo Ajoelhei, e rapidamente tirei o pau dele pra fora e abocanhei. Ele me empurrou e com cara de assustado falou cochichando: - Tá louco, Brenno? Que viadagaem é essa? - Foda-se, Renato. Você mesmo falou que uma punheta não resolveria teu pau duro. Só to ajudando. - Não sou viado não, cara! Tá doido? Meu pau é pra arregaçar buceta e boca de gostosa, não de macho feito você! - Cala a boca, Renato. Também não sou viado! (tenho que disfarçar, né? HAHAHAHA) É só uma zoeira de mano! Vai dizer que nunca bateu punheta com algum amigo? E vai dizer que seu pau não relou no pau do Pablo na hora de comer a Amanda? E isso kão fez você ser viado! Relaxa e deixa eu fazer isso e morre aqui. Nisso o Jorge reparou que estávamos discutindo na cozinha e perguntou se estava tudo bem. Respondemos que sim, então ele voltou a olhar a TV. Continuei com meus argumentos: - E teu pau pulsou na hora que coloquei a boca. Tu gostou, mano. Mas relaxa, não vai ser meu boquete que vai fazer eu ou você ser viado. Ajoelhei de novo e recomecei. Ele ficou de costas pro balcão e eu abaixado. Quem olhasse da sala só ia ver ele de costas, mas se alguém resolvesse ir até à cozinha, iria nos flagrar. Era impressionante aquele pau. Sabe aqueles perfeitos pra chupar, que se encaixam na boca e deslizam pela garganta? Pois é. O Renato já estava entregue, gemendo baixinho e acariciando meus cabelos. E eu ajoelhado dando o melhor boquete possível. Lambia as bolas, chupava só a cabeça de leve contornando com a língua, lambia toda a extensão e depois engolia tudo deslizando suavemente pela minha garganta, e quando meu nariz encostava na base do pau dele, lambia as bolas e forçava os muscúlos da garganta pra massagear a cabeça do pau dele. O problema é que nessa hora ele não se aguentou e gemeu bem alto falando "Caralho, que boca!". Pronto, gelei. Não deu tempo de tirar o pau dele da boca e já estavam todos na cozinha vemdo a cena, eu ajoelhado e chupando o Renato. O Renato se assustou, levantou rápido a cueca e ficou branco, sem saber o que falar. Eu me levantei sem graça, assustado, limpando o excesso de saliva da lateral da minha boca. - Que porra é essa? Vocês são viados? - perguntou espantado o Aurélio. O Renato não conseguia falar nada. Então tive que tomar a frente na situação: - Galera, calma que não tem nada de viadagem aqui. - Tu tava com a boca no pau do Renato, cara! Vai falar que isso é coisa de macho? - Mano, seguinte. Ontem na facul o Renato tava quase faturando a Larissa da turma de Educação Física. Acabei que atrapalhei a conquista dele e ele ficou puto. Viemos pra casa pra jogar videogame, pra ele desestressar e como ele estava puto apostou que se eu perdesse teria que mamar ele. Eu perdi, mas não quis pagar a aposta. Ele falou que hoje eu me arrependeria. Quando ele veio na cozinha, falou pra eu pagar a aposta ou iria me bater. Resolvi não partir pra briga... Claro que a história era mentira, mas o Renato parece ter gostado da versão e visivelmente mais calmo já com ppse de machão falou: - Isso mesmo. Esse maldito azedou minha foda com a Larissa e ainda não quis pagar a aposta. Minha ideia era fazer ali na sala pra todos verem. Mas resolvi poupar ele. Foda que vocês flagraram... Depois de um silêncio, todos começaram a rir e parecem ter comprado a ideia. Quando achei que tinha acabado, o Jorge fala: - Mas pelo jeito ele não acabou de pagar a aposta. Tu ainda tá com esse trambolho duro! Eu, aproveitando a situação, me abaixei e falei: - Não seja por isso. E continuei mamando. Todos se espantaram e perguntaram se eu era viado. Tirei o pau da boca e falei: - Claro que não. Apenas odeio que falem que não cumpro apostas. Sou um homem de palavra. E continuei mamando, agora com plateia. Tive que fazer umas caras de nojo, como se não estivesse gostando, e os caras só riam. Tiraram uma foto (no fim do conto e embaçada por motivos óbvios) e então o Renato anuncia que vai gozar. Apenas engulo o pau até o fim e aguardo. Caralho, ele não gemia: ele urrava de tesão e gozou muito direto na garganta. Os caras falaram que ele devia estar na seca mesmo por não ter comido a Larissa. Depois de lamber cada gota, levantei e em tom de ameaça falei que se alguém me chamasse de viado ou se aquela foto vazasse, que eu me vingaria deles. Pelo menos eles respeitaram. Voltamos a jogar e os caras acabaram comentando que eu era homem pra caralho de mamar na frente deles sem achar que seria espancado. Apenas falei, rindo por dentro: - Não tenho dúvidas da minha masculinidade. Não é uma rola na minha boca que vai fazer eu deixar de ser homem. - Eita, senti firmeza! - falou o Pablo. Se eles acreditaram ou não, nem sei. Parece que sim porque nunca mais tocaram no assunto e nem ao menos zoaram me chamando de viado. Para eles foi apenas o pagamento de uma aposta mesmo. Apenas o Renato que em outra ocasião cochichou no meu ouvido: - Se macho chupa tão bem daquele jeito, será que vc também dá o cu feito macho? - E deu uma risadinha sacana. Fiz cara de bravo pra não dar pinta, e apenas respondi que não importa qual aposta, eu não fugiria. Ele então falou pra jogarmos video-game valendo meu cuzinho. Apenas ri e falei pra ele parar de sonhar. Vou me fazer de difícil por enquanto, mas logo eu chamo ele pra uma partida aqui em casa... Espero que tenham gostado! Lembrando que só relato histórias VERÍDICAS. Adoro esses riscos!

COMENDO A BUNDA DO MEU MELHOR AMIGO ANTES DE DORMIR

Meu nome é Carlos, e esse é só um breve conto onde eu falo de como fodi meu amigo hétero. Pelos dezesseis anos que passamos crescendo juntos, certamente criamos confiança um no outro. Mas nunca passou de amizade até aquela noite. Até porque eu e ele temos namorada. Provocamos muita inveja nos rapazes e garotas por sermos ricos e bonitos. Nossas namoradas com certeza conhecem algumas histórias de nossas furadas no relacionamento, porém nunca procuram a fundo mais informações para não nos perder. Eu passei a admirar o meu amigo Bruno, chamava-o de Bruninho. Talvez porque ele era inteligente e engraçado, daquele jeito sarcástico. Na aparência, eu ganhava dele, por ter um corpo sarado. Bruninho tinha mais gordura pelo corpo, uma barriguinha de cerveja. Mas isso era normal. Ele não deixava de atrair garotas. Nós dormíamos um na casa do outro havia muito tempo. Por isso, já ficávamos apenas de cueca. Não tinha nada demais admirar a bunda dele, tenho certeza que ele admirava a minha também quando ficava de costas. Nossas bundas eram bonitas. A dele era a maior. Às vezes eu segurava e apertava na brincadeira, ou fingindo acidente. Ele levava numa boa. Apenas sorria. O rosto era a melhor parte dele, convenhamos. Nós dois tínhamos um cabelo grande e preto. Mas seus olhos eram verdes, e os meus, castanhos. Estávamos na minha casa naquele dia. Prontos para dormir. Eu me deitei na cama só de cueca. Bruninho saiu do banheiro com uma sunga vermelha, mexendo no celular. O coxão dele estava arrumado no chão ao meu lado. - Pode dormir na cama, bicho. – Eu disse, mostrando um espaço ao meu lado. Não oferecia muito, mas não achei que fosse nada demais. - Sai pra lá – ele disse, sentando-se e deitando-se de barriga para baixo. Ficou apoiado no travesseiro, ainda olhando para o celular. - Deixa de ser fresco – falei, indo mais para o canto da cama e olhar para ele. - Você só quer me comer – ele disse, obviamente numa piada. Mas ele balançou a bunda na sunga vermelha e eu encarei, porque não tive outra chance, e percebi que aquele pedaço de carne não seria nada ruim. Bruninho continuou conversando com a namorada pelo celular, enquanto que eu olhei para a sua bunda por um tempo até decidir brincar. Sentei-me na cama, esperei, respirei fundo e enfiei um pé bem no meio da cueca. Mesmo por cima da roupa, eu senti a carne macia e quente do meu amigo. - Heeey, seu viado, pare com isso – ele protestou, mas não muito alto, e quando tentou sair eu apertei mais. – Para, cara! – Seus protestos viam com um sorriso, o que quer dizer que ele estava se divertindo. Eu também estava. Aquela diversão me deixou com o pau duro. Era bom brincar com a bunda do meu melhor amigo. - Você tá gostando – eu falei. - Carlinhos, para – ele pedia, sem força, enquanto empinava a bunda. - Por que? - Porque eu não sou viado. - Tem nada não – disse eu, mexendo os dedos do pé para abrir suas nádegas. Sua bunda gorda era muito macia. - Tem sim, se sua mãe aparecer – ele começou, mas eu não o deixei terminar. - Vai aparecer ninguém não – prometi. Então continuei empurrando meu pé no meio do bumbum, e meu amigo deixou. Depois de um tempo, começou a relaxar, dando-me liberdade para brincar. Ele voltou a falar com a namorada pelo telefone. – Tira a cueca – falei, num sussurro. - Não, cara. - Vai, Bruninho. Ninguém vai ver não. Ele me encarou e eu passei um olhar assegurador. Com uma mão, ele tirou um lado da cueca vermelha, mostrando a bunda branca por baixo. Depois tirou completamente. O cu estava liso e livre de pelos. A bunda era branca e gostosa. Eu passei o pé por cima do buraquinho trancado e apertei, e ele recebeu tudo silenciosamente. Meu pau tava durão por ver meu amigo recebendo o meu pé no cu, e a bunda era muito linda, então eu tirei o meu pau e comecei a me masturbar. Bruninho, de vez em quando, fazia um ruído sibilante e me mandava ir devagar. Eu amassava o seu rabão o pé, apertava, empurrava, mexia de todo jeito. Então, maluco de tesão, eu fui para cima dele e comecei a roçar o pau duro por cima. Prendi sua perna por baixo da minha, empinei o bumbum e comecei a esfregar a cabeça do pau bem na entrada do cuzinho de Bruno. Era uma delícia. Ele não falou nada. De alguma forma, ele ainda conseguia falar com a namorada. Chegou um momento em que não podia mais só esfregar. Tinha que foder aquela bundinha branca e gostosa. Cuspi na mão e providenciei uma esfregada deliciosa no meio da sua bunda, deixando molhadinho. Ele deu uma gemida baixinha. Então ele tava gostando mesmo. Percebendo isso, eu esfreguei a mão mais forte no seu rabo e fiz ele gemer de novo, e sorri. - Quer me dá a bunda? - Não, pô. É melhor parar. - Deixa de ser fresco, Bruno. Ninguém vai saber não. É que eu tô de pau duro, que que tem? - Só porque tá de pau duro, eu tenho que dá o cu? - Vai, cara, por favor? – Bruninho não respondeu, eu voltei a passar a cabeça do pau bem na entrada, e ele continuou em silêncio. Aquela era a minha deixa. Como não tinha nada para passar no pau, eu tive que cuspir bem muito e passar no cu e no membro. A saliva tinha que funcionar, pelo menos um pouco. Quando comecei a colocar a cabecinha, ele gemeu e parou de falar com a namorada, enfiando a cabeça no travesseiro. Eu dei uma mordida na sua costa branca e suada, sem saber exatamente o porquê. Mas foi legal. Era só porque tava fodendo ele. Depois, a gente ia esquecer tudo. Enfiei mais e mais, até que entrou. Eu já podia sentir o calor e o aperto e era muito gostoso. Se eu soubesse que seria tão bom comer a bunda dele, já teria tentado. Eu tive que cuspir mais um bocado para poder comer ele com mais velocidade. Nunca deixou de ser apertado, mesmo depois de ter enfiado até o talo umas dez vezes. Ele estava lutando para não fazer nenhum som, mas eu sabia que ele tava gostando de levar rola no cu. Eu fodi ele ali por uns quinze minutos, até ficar cansado e suado, respirando forçadamente de uma forma que lutava para trazer oxigênio para dentro. Nossos únicos sons foram respirações ofegantes, na verdade. A não ser quando eu gozei no seu buraquinho. Rebolei antes de tirar o pau, só para sentir mais um pouco daquela bunda. Então tirei, dando um tapinha de leve na nádega direita. Meu amigo levantou a cabeça, e me encarou com vergonha. Eu sorri pra ele. Talvez fosse difícil agora, mas a gente ia se acostumar. E eu estava decidido a foder ele mais um pouco. Quem sabe até naquele mesmo dia. Aquela bunda foi a melhor coisa que eu experimentei. - A porta tá fechada -, eu disse, já deitado enquanto encarava o teto sem conseguir dormir. – Se quiser vir pra cama... ninguém vai saber. Ele veio. E bateu uma punheta pra mim, enquanto eu batia uma para ele. Sua mão desceu, me virou de lado e começou a se esfregar no meu ânus...

PAPAI ME ENCOXOU E GOZOU PART 3

No tempo que tava na escola, fiquei pensando em tudo que aconteceu, isso me atrapalhou um pouco, mas tudo bem... na hora de ir embora, era mamae quem estava me esperando de carro, dei um beijo nela e entrei. No caminho ela me disse que tinha visitas em casa, era o a irmã dela, a tia cassia, junto com o tio joão e a filha deles, a prima hellen.. eu tinha visto eles quando era bem pequeno, ja que moravam longe.. mamãe disse que estavam ali pra passar a semana, porque iam á uma reuniao da empresa do meu tio, essas coisas.. Logo que cheguei, encontrei papai e meu tio na sala vendo tv, corri e abracei papai, dei um beijo nele, e olhei pro meu tio que disse: - que rapaz bonito, vem ca da um abraço no tio fui em direção a ele e dei um abraço, recebi um beijo no rosto e respondi as perguntas basicas sobre futebol, namoradas e blsblabla. Mamae me chamou na cozinha, fui até la e estava minha tia cassia e minha prima hellen... Quando vi a hellen, fiquei meio besta... ela era linda, parecia uma modelo. Era morena clara, olhos cor de mel, cabelos longos..e ela tinha só 18 anos.. mais velha do que eu, mas nem parecia tanto.. fui dar um abraço na titia, que me bajulou muito, e dei um beijo na prima que tava muito cheirosa. Quando voltei pra sala, vi papai e titio conversando baixinho, bem cochichando mesmo.. fui pro meu quarto pra me trocar e escutei meu tio chamar a hellen... enquanto me trocava e tudo mais, minha mãe veio até meu quarto e disse que eu ia dormir com ela e com papai, por que o meu quarto ficaria com meus tios.. concordei sem problemas e mamãe voltou pra cozinha.. logo em seguida eu fui pra sala e estava la papai, titio e a prima hellen, essa com um short jeans e uma camiseta branca.. eles cochichavam e davam risadinhas, vi meu pai falar algo pro meu tio em seu ouvido, e ele fez um sinal que sim com a cabeça.. cheguei perto deles e mudaram o assunto, ficaram me bajulando e começaram a falar de futebol. Minha mãe e minha tia vieram pra sala falando que iam no mercado e passariam na casa de minha vó, porque a tia ainda nao tinha ido la.. Meu tio disse que nao ia aquela hora, pois tinha assuntos com meu pai, o mesmo disse que ficaria pra conversar e resolver coisas com titio.. Hellen disse que tambem nao ia naquele dia, apenas no outro pois teria mais tempo. Eu que estava estranhando a situação disse que ficaria ali.. Papai tentou fazer eu ir, mas eu nao quis então mamae disse que eu ficaria, pois nao queria perder tempo. As duas sairam, e ficamos ali na sala os quatro.. Papai foi pro seu quarto e em seguida chamou o tio joão.. eu fiquei ali com a hellen, eu nao conseguia parar de olha pra ela, tamanha sua beleza... ela puxou alguns assuntos, mas nada demais.. Nisso, meu pai chega na sala e diz pra hellen ir la no quarto que meu tio queria mostrar algo no computador, ela foi mais que depressa. Papai ficou ali comigo e começou a me encher de carinho, dando beijos e abraços.. E logo ele me levou até a janela e fez um pedido: - Olha meu anjinho, daqui da pra ver a rua toda né? faz um favor pro pai?? eu vou la no quarto ajudar eles com o computador e voce nao sai daqui, se o carro da sua mãe aparecer na rua, vc da um grito me chamando, ta?? depois eu te dou um presente. Eu disse: - Ta papai, mas oq vc vão ver la? - É um presente pra titia que seu tio quer comprar pela net rs eu disse que tud bem, que nao sairia dali - bom garoto, meu amorzinho... Nisso ele deu um apertão em minha bunda e um bjo no meu rosto e saiu correndo pro quarto. Eu fiquei por ali olhando atentamente pra rua, vendo se mamãe nao voltava... o tempo passava e nada delas, nem deles.. apenas escutava o som alto da tv do quarto dos meus pais.. Cheguei até a contar os carros que passavm na rua pra passar o tempo... depois de uns 40 minutos, escuto passos, era meu tio, vindo na direção que eu estava, ele tava bem cansado e parecia feliz, me deu um tapinha na cabeça e disse que ia na cozinha tomar água. Fiquei ali esperando meu pai e a hellen, mas eles nao sairam.. Ttio voltou pra perto de mim, e disse que tava dificil achar um presente legal eu apenas disse que imaginava,, Nisso meu tio olha pra rua e pergunta - aquela é sua mãe, ne? aquele carro? - É sim, tio.. chegara, Titio corre pro quarto pra avisa-los, e logo meu pai sai de la tambem bastante cansado e suando, ja que era gordo. entra na cozinha e fica por ali. Minha prima nao saiu, ficou por la mesmo. Meu pai e meu tio foram pro sofá e ficaram conversando e vendo tv, até que as mulheres chegam rindo e conversando alto, passam por nos e comentam algumas coisas la da casa da vó. Titia pergunta por hellen, e meu tio diz que ela foi pro quarto da mamãe, pois estava cansada e ia ficar la vendo tv. Elas vão preparar o jantar e ficamos por ali mesmo.. Depois de quase uma hora, chamaram a gente pra comer, sentamos na mesa e nisso, hellen chega de banho tomado e toda perfumada, linda como nunca. Alias nos jantamos e na mesa papai nao parava de olhar pra minha prima, isso tava me deixando bravo, com ciumes... era ela muito linda, talvez... eu quisesse ser como ela...Depois de jantar, vimos um pouco de tv.. eu, papai, e mamãe num sofá.. tio joão e a tia cassia no outro..e hellen foi pro meu quarto, onde ela dormiria em minha cama, e meus tios num colchão no chão.. eu, como disse antes, dormiria com meus pais. Terminado o filme que viamos, todos se arrumaram pra dormir, eu ja estava com muito sono fui me deitar.. como estava quente, deitei apenas de cueca e camiseta. acabei apagando.. la pra tantas da manhã, acordei com algo cutucando meu bumbum, percebi a barrigona peluda do meu pai em minhas costas e seu pau roando em minha bundinha...demoreiuns segundos pra entender...e tava sentindo falta do papai me bajulando daquele jeito, desde que ele tinha gozado em minha boca no dia anterior, ele nao tinha me procurado mais.. então fiz questão de jogar a bundinha pra tras pra ele encaixar direitinho seu pau duro..ele me segurou pela cintura e seu umas mexidas que fazia o pau dele ir bem no meu cuzinho.. enquanto isso, mamãe na minha frente dormia como uma pedra, ouvia apenas sua respiração.. Papai meujou meu pescoço, e colocou sua mão por dentro de minha cueca e acariciou meu bumbum, me deixando com tesão, meu pau ficou durinho, mas foi um choque quando meu pai colocou o dedo na entrada do meu cuzinho e começou a mexer ali... eu respirava fundo, e papai tambem.. ele tentava colocar a ponta do dedo la dentro, mas nao cabia eu dava um tranco pra frente, pois sentia uma dorzinha.. minha mãe se mexeu, e meu pai parou ficando quetinho... dai ele começou a se masturbar relando o pau na minha bunda.. e disse no meu ouvido - gostosinho do pai, essa bundinha branca ta me deixando maluco e eu apenas sentia ele ali todo encostado em mim... senti papai se afastar e se levantar, indo em direção ao banheiro. senti falta da gozada que ele havia me dado no outro dia.. mas fiquei ali quieto. Papai saiu do banheiro e tambem do quarto..fui ao banheiro e vi que ele tinha gozado na privada, mas nao deu descarga, eu tive que fazer isso.. dei uma mijadinha e voltei pra cama.. esperando por papai, pra que pudessemos dormir. Porem, ele estava demorando Então resolvi ir atras dele.. chegando na sala, nao vi nada nem ninguem, vi a luz da geladeira acesa, e entrei na cozinha, foi quando vi papai em pé encostado na pia tomando um copo de agua, e minha prima hellen procurando algo na geladeira.. ela estava com m pijaminha azul bem larguinho, porem pequeno. com a bunda grandinha dela quase amostra. Meu pai ficava olhando e sorrindo. Ela disse que nao tinha leite gelado e ele disse. - achei que vc gostasse de leitinho quente Hellen sorriu e chamou ele de safado, enquanto papai falou - sorte sua que o leite que eu tinha acabei de jogar fora hehe - hum titio, ta podia ter guardado pra mim - quem sabe mais tarde, meu anjo.. Papai disse que ia dormir, e eu corri pra cama...porem, demorou ainda uns 5 min pra ele chegar.. ele me abraçou por tras pensao que eu dormia, deu um beijo em meu rosto e ficou em silencio.. Acordei no outro dia e estava sozinho na cama, fui me lavar no banheiro e depois fui pra sala.. La nao havia ninguem, apenas a tv ligada.. Na cozinha estavam mamãe e minha tia conversando e comendo algo. Perguntei pelos outros, e disseram que tinham ido até minha vó e nao demorariam, pois era sabado e era o dia da bendita reuniao. Resolvi ir pro meu quarto jogar meu video game, quando entrei e me lembrei de que tinham dormido ali... e na cama, que tava bagunçada, hellen tinha dormido.. resolvi deitar e senti o cheiro da mesma.. um cheiro gostoso...quando puxei o lencol pra me cobrir, veio algo junto.. uma calcinha preta, a calcinha que ela usara pra dormir.. e quando eu peguei, senti algo pegajoso, porem quase seco na frente pela parte de dentro.. cheirei e tinha um cheiro um pouco forte.. tranquei a porta e resolvi fazer algo maluco... vesti a calcinha dela, tirei minha cueca e coloquei no bolso da bermuda.. fiquei uns minutos com a calcinha dela, fiquei me sentindo a propria hellen.. ouço vozes na sala, tinham chegado, rapidamente tirei a calcinha e a deixei no mesmo lugar.. coloquei a cueca e o short e fui pra sala.. meu tio me chamou pro sofa e ficou falando comigo, enquaanto os outros estavam na cozinha falando sobre o almoço.. Minha mãe estava acelerando eles para o mercado, papai ia junto, hellen tambem,, alias, papai nao desgrudava dela um minuto. Eu que nao queria ir, alias, pouco saia de casa.. disse que ficaria ali, e tio joão disse que me faria companhia,, o que todos aceitaram na boa e foram. Ficou apenas meu tio e eu. Tioo joão disse que eu estava um belo menino, muito lindo mesmo. Mas eu disse assim - obrigado titio, mas a hellen tambem esta ne? é uma menina perfeita de linda Tio joão riu e disse que realmente ela era uma boneca - olha, ela saiu melhor do que a encomenda, fiz ou nao fiz uma filha maravilhosa? e nos dois rimos.. no entanto, ele disse que eu tambem era bem bonito, e que devia ser muito paquerado eu disse que nao, ainda era muito novo e as meninas preferiam os mais velhos.. Titio me disse que ia pro meu quarto colocar um short mais folgado e que ja voltava..Mas la de dentro ele grita meu nome, e eu vou até o quarto. Quando chego, vejo o titio sentado na cama e a calcinha das hellen do lado.. eu andei até ele e perguntei - o que foi, tio? - acho que sua prima deixou a calcinha aqui, é meio desmiolada.. - ah sim, acho que se trocou na pressa ne tio - é sim, veja que pequenininha, meu amor... deve servir até em voce haha - hehehe af tio - ue, nao acha??? - acho que sim, nao sei... - então veste, vamos fazer um teste. rs eu fiquei com um frio na barriga, sabia que me servia, pois ja tinha colocado... apenas disse que tudo bem, mas tinha que ser rapido.. Então titio me apressou e tirou meu short e minha cueca,, me deu a calcinha e foi fechar a porta.. coloquei a calcinha ali mesmo e fiquei me olhando.. titio chegou perto de mim e ficou me secado.. sentou na cama e disse - nossa, ficou certinho.. se vc fosse uma menina seria tão linda e gostosa quanto a hellen Isso mexeu comigo, ela era minha inspiração... eu sorrio pra ele e nao escondio que estava feliz pelo que disse, então ele pediu pra eu deslifar pra ele, o que fiz rapidamente.. titioo ia me olhando e colocou a mao no pau por cima do short e ficou alisando.. eu olhei bem e dei uma risadinha. ele me chama pra perto dele e começa a passar as mãos em meu corpo, alisa minhas coxas e aperta eu bumbum com a calcinha.. de repente ele coloca o pau pra fora e começa a bater uma.. era maior que o do meu pai...ele manda eu ficar de costa e começa a esfregar o pau em minha bunda, passando pela calcinha e tocando minha pele... ele me aperta contra o pau dele e fica como se tivesse me comendo, passando a rola na calcinha da filha dele.. dizendo coisas do tipo - que bundinha deliciosa.. o cuzinho deve ser demais, se bobear é melhor que a da hellen nisso eu me arrepiei todo e apertei minha bunda contra o pau dele..ele me pega com força e me joga na cama, sobe em cima de mim e começa a roçar com força, eu de bruço por baixo dele apenas dizia - aiin tio alguem pode chegar - calma delicia hummm que bundinha macia pqp vc vai ser uma putinha igualk sua prima - aii tio vai logooooo meu tio então da um berro e enche minha bundinha de porra, começa a gozar jatos e jatos..esparramdno pelas minhas costas, na cama e na calcinha de hellen...até que ele caiu pro lado e ficou uns segundos respirando fundoo Eu corri pro banheiro me secar, sequei a calcinha e joguei pro titio colocar no mesmo lugar.. depois de limpar a cama, meu tio foi pra sala e eu fui pro quarto dos meus pai, fiquei ali até a hora que chegaram todos... Papai entrou no meu quarto pra me dar um beijo, percebeu que eu nao estava normal e sai sorrindo... fui pra sala e encomtrei hellen e meu tio cochicando no sofa... ela olhou pra mim e sorriu, me deu um abraço e falou - voce ja é meu primo preferido.. eu sorrio e agradeci...

RELEMBRANDO A INFANCIA

Olá pessoal, aqui é meu primeiro conto Não vou começar pela primeira vez, vou começar por uma história que me faz gozar até hoje. Hoje tenho 29a sou casado e me amarro nas histórias daqui. Quando eu tinha por volta dos 20 anos já aprontava demais com os coleguinhas da rua. Meus pais precisaram trabalhar de madrugada e me deixaram sozinho com meu irmão mais novo de 18 anos. Durante o dia fomos a uma loja e eles compraram diversos jogos para que pudessemos ficar intrertidos. Depois que eles saíram começamos os jogos, porém foi ficando chato. Perto das 21h decidimos convidar alguns amigos da rua para jogarem conosco. Em casa eramos um grupo de cerca de 8 a 10 garotos com idades entre 18a e 23a. Jogamos tudo que tínhamos comprado. Em determinado momento decidimos brincar de pique esconde dentro de casa. Por volta da terceira rodada fui me esconder dentro do box do banheiro junto com dois amigos. Fiquei mais a frente e eles atrás de mim, quando do nada comecei a sentir as mãos de ambos passeando em minha bunda. Não resisti e ali mesmo abaixei e comecei a mamar os dois. Um neguinho que eu adorava e outro branquinho e gordinho que era um tesão. Estava ali na mamadeira quando fomos surpreendidos pelo restante da galera. Aí a putaria foi geral. Saímos dali e fomos para o quarto e comecei a me revezar entre todas as pirocas, acabei mamando todos, inclusive meu irmão. varamos a noite na putaria comigo mamando e levando roçadas no rabinho de todos. Depois de cansados meu irmão queria ir com eles para a rua jogar bola, porém meus pais já haviam orientado a não deixá-lo na rua até tarde. Foi então que tive uma idéia: disse que não contaria nada a eles e deixaria ele ir se alguém se propusesse a ficar em casa me fazendo companhia, foi aí que o Alê, o mais velho de todos 23a disse que ficaria comigo. Alê era magrinho na época com cerca de 1,80 todo peludinho e com um piroca que não esqueço até hoje, 18cm mediana na grossura porém com uma das maiores cabeças que vi até hoje, era um verdadeiro cogumelo. Depois que todos saíram ele já me colocou para mamar aquela maravilha e começou a brincar com o dedinho no meu cú. Foi me virando e introduziu aquele pedaço quente de carne em mim. Confesso que doeu muito, porém com o tempo fui me acostumando e sentindo prazer. Ele me comeu por um longo tempo, e depois tirou de dentro de mim e derramou todo o seu leite na minha cara enquanto eu me masturbava. Foi uma gozada maravilhosa! Quando acabamos a foda coloquei meu irmão para casa, ele ainda me cobrou uma mamada e gozou em cima do meu rabo antes de dormir. No dia seguinte acordamos como se nada tivesse acontecido. Somente agora no final que fui ler algumas regras daqui e precisei fazer algumas adaptações. Espero que tenham gostado e em breve volto com outras histórias minhas.

DA BRINCADEIRA DE INFANCIA A PUTARIA

Olá galera estou aqui para mais um relato das minhas recordações. Como falei anteriormente comecei muito cedo minha vida sexual, e fiz a alegria da molecada que era minha vizinha de rua. Conheci todos os pintos daqueles que brincavam comigo e meu irmão. Nosso grupo de amizade era bem diversificado com meninos que iam dos 10 aos 18 anos. Uma das brincadeiras que mais gostávamos era a carniça, para quem não conhece uma pessoa fica na posição de quatro (a carniça) enquanto um é o mestre de um lado da carniça e os outros do outro lado tentam roubar o lugar de mestre ou acabam virando carniça. Numa das atividades escolhidas pelo mestre o carniça deveria se segurar em uma árvore do terreno e todos os outros iam segurando na cintura um dos outros o mestre era sempre o último. Aonde arrebentasse a corda humana o participante se transformava em carniça. Por questões óbvias o mestre acabava sendo um dos meninos mais velhos pois sempre se saiam melhor nas atividades. Tinha um que eu achava um tesão mas ainda não tinha pegado ele, por falta de oportunidade. Ele com 18a deveria ter cerca de 1,80 corpo todo parrudinho com pelos nos peitos e um sorriso sedutor. Quando ele escolheu essa atividade dei um jeito de acabar chegando atrasado a fila e fui o penúltimo e ele como mestre o último. Começamos a fazer força para arrebentar a corda humana quando senti que ele estava me encoxando. Logo a corda arrebentou e fiquei puto. Porém duas atividades depois ele escolheu novamente a corda humana e dessa vez foi mais abusado, como era muito mais alto que eu e forte, praticamente me levantou do chão e me fez sentar em sua pica completamente dura. Fui a loucura e logo sugeri que mudassemos a brincadeira para pique-esconde Ele foi o primeiro a aceitar e forçar a galera a mudar. Logo no primeira escolha de se esconder escolhemos o mesmo lugar, um quartinho abandonado dentro de um armário que mais parecia um baú gigante. Não perdemos tempo, logo que entramos nos atracamos. Ele me abraçou carinhosamente e me senti envolvido em seu corpo. fui descendo e logo estava com aquele colosso de uns 20 cm grosso na boca. Moreninho tipo índio do jeito que adoro. Mamei com vontade e ele logo me levantou pois não poderíamos demorar muito me colocou de costas e começou a sarrar o meu cú. Estava uma delicia, até que comecei a sentir a dor de ele tentando me penetrar. Já estava me preparando para aceitar aquela carne dentro de mim quando ouvimos a porta do quartinho abrir. Ficamos bem quietos e ouviamos os passos dentro do recinto, acredito que pela adrenalina de sermos descobertos comecei a sentir seu pau soltar jatos na portinha do meu cú lambuzando toda minha bunda. Levantamos a roupa e saímos para não sermos descobertos. Ele me pediu desculpa por não ter concluído a penetração. Falei que teríamos oportunidade futuramente e corri para o banheiro primeiro para me masturbar com a porra na bunda e depois para me limpar. Essas recordações me fazem gozar até hoje.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

BRINCOU COMIGO E EU GOZEI NELE

Era terça feira de manhã. Eu acordo bem sedo, geralmente cinco horas. Tenho uma academia que montei aos poucos. Depois de uma hora e meia malhando pesado, eu para e avalio no espelho. Meus músculos estavam adquirindo uma ótima definição. Meu tom de pele me ajuda; e com essa cintura sequinha, eu podia me sentir mais jovem. Alguém bate na porta. Vou abrir e Miguel aparece, de bermuda e camiseta. Ele tinha o costume de malhar comigo algumas vezes, mas tinha achado que nunca fosse vê-lo de novo. - OI Gui! - Entra ai! Ele entrou e foi para a área com os aparelhos. Ele pegou um alteres e mediu o peso, depois me olhou nos olhos. - Não vou comer você tá! - De boa! - Desde quando você gosta de dar a bundinha?- e foi sentando para iniciar uma série. - Você foi a terceira pessoa que comeu meu cu. Eu prefiro comer uma bunda.- e fui em direção ao banheiro tirando a camisa. - Então você gosta de uma pica? só pra mamar?- e da porta do banheiro, ouvi sua risada sarcástica. Eu nunca tive muita paciência com heterossexuais; que só porque descobrem que somos gay; querem nos tratar como se estivéssemos, nas mãos deles. Conhecia Miguel e sabia como ele podia ser cruel e preconceituoso. Eu estava só de cueca, quando voltei a sala enfurecido. - Escuta aqui!- ele estava sentado na cama extensora. Eu apontei o dedo em seu rosto, e fiz questão de falar bem claro e mais alto.- Se você pensa que vai me tratar igual a lixo, pode tirar seu cavalinho da chuva. Eu tenho orgulho de quem sou, e não vou tolerar gracinhas suas. Se quiser ser meu amigo eu aceito, mas não vou virar uma dessas putinhas que esta acostumado a receber um bola gato. Me respeita que eu sou homem! Seus músculos dos braços estavam explodindo de exitação, por causa do exercício, suas veias saltando, seus peito largo esticando a camisa, e tinha um volume apontando para baixo, dentro da bermuda. Miguel levantou de um salto, e tão puto quanto eu, encostou a testa na minha e aproximou seu corpo do meu, me olhando nos olhos; que eu devolvi com mais determinação ainda. Ele esbarrou em meu ombro e saiu. Fui trabalhar, e lá converso um pouco com Vegas. Dessa vez nada de sexo. Era minha semana com ele, no seu tour pela empresa, e aproveitamos para conversar sobre a vida. Ele era casado com uma mulher enorme de gorda; tinha três filhos, e muita divida para pagar. Disse nunca ter feito sexo com homem, mas que gostou de dar a bunda. Eu o tranquilizei dizendo que isso, jamais sairia de nós dois. Mesmo assim ele disse que era melhor parar por ali, antes que fizesse uma loucura, e eu concordei; afinal; não era isso que queria. Fazia muito tempo que não me envolvia com alguém, e agora dois caras seguidos, me deixou meio fora de si. Eu encontrei Jacó no ônibus e ele sorriu para mim, ajeitando a cueca na coxa. Eu passei pelos caras na quadra do play; suados, sem camisa, com aqueles shorts pequenos, molhados; onde toda ora coçavam a virilha, puxavam o pau para ajeitar e se roçavam. Entrei no elevador ciente da minha ereção marcando a calça, mas não tinha jeito de esconder aquilo. Cheguei em casa e pus um filme porno, na esperança de gozar na cueca sem tocar no pau. Eu adoro a sensação, é tão intenso. Na sexta. Depois de umas biritas com o pessoas da empresa, cheguei em casa de carona com Vegas, que se despediu com um tapinha na minha coxa, e subi. Cai no sofá de tão cansado. quando acordei, vi o celular piscando a luz, e vi uma mensagem no whatsapp. Abri e vi que era uma foto da pica de Miguel. Eu ainda não tinha visto com tempo, e fiquei impressionado, com a cara de pau dele. Mesmo assim acordei de novo com a pica explodindo na calça social. Mandei outra mensagem, perguntando de quem era a foto, ele me devolveu, com uns emoticons sorrindo. Eu então mantei uma foto de meu rosto, com um sorriso de sono, e escrevi,- não me impressionei. Ele me manda outra, da cintura para baixo, a pica dura feito roxa, e as coxas. Eu entrei no jogo, e tirei o pau para fora fotografei e mandei. Levou vários minutos até ele mandar alguma coisa. Era uma foto de corpo inteiro no espelho, com o celular no rosto, com o pênis todo coberto pela mão, escrito- estou quase explodindo de tesão!. Fui tirando a gravata e os sapatos, mandando uma mensagem para ele dizendo, que devia bater uma e dormir. ele mandou uma foto de uma cara dormindo com a pica dura dentro do pijama Sai da ducha e olhei no celular, e vi 27 mensagens dele; entre fotos dele pelado, e de outros caras, á mensagens perguntando de mim, e se ia responder. Tirei uma foto de corpo inteiro pelo espelho do banheiro levantando a virilha e com a pica na sua reta, fazendo careta. Me troco no quarto, visto uma calça de sarja e camisa. Olho no celular e ele diz que esta na minha porta. ignoro, e espero ele bater. Ele levou um tempo para bater, mas assim que fez, eu corri e abri. ele entrou com um sorriso, e perguntou, se estava sozinho. Eu disse que sim. - Ai cara! não vai rolar nada não tá!- falou sem graça- Quer bater uma punheta comigo? - Eu não sou muito de punheta, mas se quiser posso colocar um filme para assistir. Coloquei um filme de porno hétero, bem quente. Ficamos sentados no sofá, dando uns sorrisinhos amarelos um para o outro. Miguel coloca seu para para fora e inicia a bronha. Ele batia a punha e me olhava de vez em quando, com um sorriso safado. Ele estava com a bermuda nos joelhos, a camisa presa no pescoço. Não vendo reação minha, ele colocou a mão na minha cintura e sentiu a pica pulsando. Ele apertou meu pau algumas vezes, jogou a cintura para cima, e gozou no peito, gemendo e respirando forte, se jogou de volta no sofá. eu fui no banheiro e trouxe uma toalha. Ele se limpou e ficou conversando comigo, já vestido. - Não quer gozar? - Até quero! mas gosto mesmo é de meter! - Você é esquisito! que cara não gosta de uma bronha? - Um monte ai! - Quer que bata uma pra você?? - Não precisa! - Pô cara! fala ai! que eu vejo se desenrolo pra você aliviar!- e apertou minha pica por cima da calça. - Só se pagar um boquete pra mim! - Sai fora viado! quer morrer? E veio pra cima de mim, me dando um soco no estômago. Eu fiquei sem ar e segurei seu corpo, para ele não ficar com as mãos livres. ele socou minha costas, abraçado a mim, rolando do sofá até o chão. Ele tentou puxar meu cabelo, mas escorregou de sua mão; eu meti um soco no seu peito; e aproveitando sua falta de ar; fiquei de pé e dei um chute na sua barriga. ele se dobrou em posição fetal, mas mesmo assim deu um coice na batata da minha perna; eu me desequilibrei e cai em cima da luminaria da mesinha de centro, espatifando tudo. - Eu vou ti quebrar tudo, seu viadinho!- gritou ele levantando, e vindo em minha direção. Ele deu um soco no meu braço, mas eu o empurrei e ele bateu na mesa da cozinha, batendo as costas. Aproveitei e dei um direto no rosto dele. Miguel rolou da mesa para o chão, e ficou ali de bruços. Peguei ele pela a gola da camisa, levantei e joguei ele de bruços nas costas do sofá, empinando sua bunda. - Me larga!- resmungou baixinho, entre os dentes. Dei um peteleco na nuca dele. - Cala a boca senão digo pra tudo mundo a bichinha que você é. Vou falar que você é doido pela minha pica. - Eu mato você! - Mata nada! tá vendo meu notebook ali. A câmera tá ligada. As imagens estão indo direto para meu e-mail. Se você tentar alguma gracinha. Alguma hora alguém vai ver isso. - Seu desgraçado filho da puta! você não tem caráter?- vociferou cuspindo. - Você achou mesmo que ia brincar comigo? Agora vou ti mostrar a ter respeito... Puxei de forma bruta sua bermuda para baixo, coloquei o pau pra fora, e comecei a roçar no meio da sua bunda. ele tentava me empurra, mas em segurei firme seus braços. Ele bufava de raiva, e seu pescoço escureceu de sangue, mas em nenhum momento falou para mim parar. Eu tentei meter no seu cu , mas tinha muito cabelo. encostei a cabeça e fui forçando, roçando. Ele tremia, mas suas mãos estavam firmes para trás. Rocei e rocei muito, até que gozei espirrando porra na suas costas e camisa, sujando toda sua bunda. Eu o soltei e deixei ele cair no chão, respirando forte. Quando olhei, vi que estava de pau duro, com uma baba colada em toda pica. Continua...

CAI DE BOCA NO TITIO

Me chamo Caio, tenho 23 anos, moreno claro, 179m, 72kg e 20cm de dote. Bem, agora que já me apresentei, vou contar o que ocorreu duas noites atrás. Certa vez, li o conto "Meu sobrinho curioso" e fiquei com certas idéias na cabeça. Sou um cara digamos, normal, tenho namoradas ou ficantes, pois sou um cara boa pinta e sempre tenho garotas no meu pé, porém escondo desejos de experimentar uma transa com algum cara, visto que já me senti atraído por vários carinhas da faculdade. Bem, ocorre que lendo o citado conto, algo atiçou em mim a curiosidade. Tenho um tio 3 anos mais velho que eu e que sempre que está na cidade, dorme na minha casa. Existe um quarto de hóspedes, mas nesse dia estava ocupado por duas amigas de minha irmã que passariam alguns dias aqui. Devido a idade semelhante entre nós, eu e meu tio sempre fomos muito próximos, falamos de sacanagens e tudo mais, de modo que mais parece um primo do que um tio. Com a chegada dele resolvemos que ele dormiria no meu quarto e as meninas ocupariam o quarto de hóspedes. Saimos para lanchar, tomamos umas cervejas e resolvemos voltar para casa, mas eu sempre com meus pensamentos libidinosos, pois sabia que ele estaria ali ao meu lado durante a noite. Bem, voltamos depois de um tempo e troxemos algumas cervejas para tomarmos em casa e como todos já haviam se deitado, entramos no quarto e ficamos comentando coisas banais. Eu sugeri que ele tomasse um banho e usasse para isso o meu banheiro, e ele já meio alto, topou. Tirou a roupa e sempre falando coisas do dia a dia. Eu tive que disfarçar para que ele não percebesse a ereção que se fez sob minha cueca ao vê-lo ali peladinho e com aquele pau pendurado entre as pernas. Ele tomou seu banho e eu preparei o colchão em que ele dormiria, intencionalmente, ao lado de minha cama. Ele saiu do banheiro e deitou-se. Eu então sugeri que vissemos um filme de sacanagem que tinha guardado. Coloquei o filme na esperança de que isso fosse acendê-lo, mas devido ao efeito da cerveja, em poucos minutos ele dormia, e eu ali cheio de pensamentos sacanas. Vi o filme inteiro sem prestar atenção, pois apenas observava meu tio que dormia só de cuecas, ali ao meu lado. Foi quando me lembrei do conto do Mix e resolvi tomar uma atitude. Comecei passando de leve a mão em suas coxas, apalpei levemente seu pau sob a cueca e aos poucos fui passando a mão com mais pressão em sua barriga, peitos e para minha surpresa, seu pau começou a crescer. Ele apenas resmungava coisas desconexas. Resolvi então ser mais ousado e levemente coloquei um dedo, depois outro e mais outro sob sua cueca e seti aquela rola que eu tanto desejava naquele momento ficando totalmente dura. Passei o dedo de leve na cabeça de seu pau ele somente soltou um suspiro. Aí então eu pensei: É agora ou nunca! Baixei-lhe a cueca e comecei a dar lambidas naquela rola, que a essas alturas, já estava em ponto de bala, até que abocanhei por completo e senti o gostinho da pica de meu tio em minha boca. Nesse ponto, eu já não pensava em mais nada e iniciei uma chupada como eu imaginava que deveria ser. Lambia a cabeça e descia até a base e meu tio de olhos fechados. Depois de alguns minutos nessa sacanagem, tamanho foi o meu prazer, ao sentir que meu tio segurava minha cabeça e forçava o pau em minha boca. Chupei loucamente, ouvindo os gemidos de meu tio, até que ele sentou-se e sem dizer nada, arrancou minha cueca e passou a retribuir minha chupada. Que delícia sentir a boca de meu tio engolindo minha rola e gemendo enquanto me acariciava o saco. Nos deitamos e sem que eu esperasse, ele me deu um beijo que me levou a loucura, passando a mão pelo meu corpo e só então ele disse algo, que foi: Vc tem camisinha? Eu, mais que depressa, levantei-me e peguei as camisinhas na gaveta da cômoda, entreguei-lhe e ele, logo tratou de vestir sua rola, abriu minhas pernas e colocou-as apoiadas em seus ombros. Daí então começou a cravar-me aquela rola que tanto desejei. No início doía um pouco, mais depois, com o vai e vem que ele iniciou, comecei a sentir um prazer imenso em ser enrabado pelo meu tio. Ele bombou cada vez mais forte até que entre gemidos abafados eu senti que ele gozava e eu também gozei numa gostosa punheta enquanto seu pau amolecia em meu rabo e ele exausto, deitou-se ao meu lado, deu-me outro beijo e fechou os olhos. Eu fiquei ali pensando em tudo aquilo e adormeci, só acordando no dia seguinte, quando ele já havia levantado e se preparava para sair. Não tocamos mais no assunto. Sei que foi real, pois eu joguei fora no dia seguinte a camisinha usada por ele. Espero vê-lo novamente em breve e quem sabe, repetir-mos a nossa sacanagem entre tio e sobrinho. E quando isso acontecer, com certeza, contarei aqui novamente.

COMENDO O CUNHADO DISCRETO E SAFADO

Me chamo Anderson,tenho 20 anos,Branco,olhos castanhos,cabelo preto,um pouco alto,um corpo sarado e um pau de 18 cm! ativo! Viajei pra outra cidade para ingressar em uma faculdade,pois onde eu moro não tem muitas oportunidades. Mas depois de um ano estudando,longe de casa,da minha mãe e da minha irmã de 17 anos! Voltei,pois a faculdade entrou em greve por tempo indeterminado! Mas tive que deixar a minha atual namorada na cidade onde eu estudava! Cheguei e abraçei as duas,pois estava com saudades! Os dias se passaram e eu passava o dia em casa,a minha mãe ia trabalhar e minha irmã estudava á tarde, então eu ficava só,com aquelas calça de jogador de futebol no sofá assistindo Tv. Pois aqui faz muito calor! Até que em uma noite,eu e minha mãe estávamos na sala assistindo tv e a kelly (Minha irmã) estava no banho! e alguém bateu na porta,eu fui abrir,mas não reconheci a pessoa! Ele era alto,branco, quase do meu tamanho,Loiro,usava um óculos estilo nerd,sorriso bonito e uma bundinha linda (Fui saber depois rsrs). Ele disse: _A kelly está? _Está sim,você quer falar com ela? _Sim! _Você vai ter que esperar um pouco,pois ela está no banho! _Não tem problema,eu espero! Perguntei se ele queria entrar e disse que iria esperar ela na varanda! Então fiquei ali conversando com ele! e ele disse: _Posso te fazer uma pergunta! _Pode sim! _Como você se chama? Eu nunca o vi aqui! _Me chamo Anderson,Sou irmão da kelly! _Ah! O que estava na faculdade? _Eu sim! Como ele podia saber disso? _A kelly fala muito bem de vc! _Ata! e vc é colega da kelly? _Não sou o namorado dela á quase 5 meses! Me chamo kevin e tenho 19 anos. Ele falou! _Ata! É melhor vc tratar bem a minha irmã,senão eu te parto ao meio! Falei brincando! _Ele ficou Meio com medo! E Eu disse que era brincadeira! Rimos! E a minha irmã chegou e eu disse que iria entrar,ele disse que me achou muito legal! Dias se passaram e eu arrumei uma ficante no bairro! Uma loira linda e gostosa! Nem me lembrei da minha namorada! Fiz amizades! E o kevin,ia quase todos os dias em casa á noite,ás vezes dormia lá! e eu levava a minha ficante pra "dormir" comigo! As vezes,eu o pegava olhando pro meu volume,mas eu não achava nada demais. Até que em um determinado dia ele chegou de manhã,pois disse que a noite não poderia vir! Ficou a manhã toda, ele almoçou conosco! Passaram se as horas e a minha irmã foi pra escola e a minha mãe foi trabalhar e ele disse que iria ficar mais um pouco! Ficamos só nós 2 em casa no sofá,assistindo e conversando,estava muito quente e fui colocar o calção verde de futebol, tirei a camisa e voltei pra sala! Sentei ao seu lado,pois em casa tinha um único sofá! Ele estava suando e mandei ele ficar á vontade! As vezes eu tinha a sensação que ele ne olhava dos pés á cabeça! Ele tirou a camisa e ficou só de óculos! Ficamos assistindo por um bom tempo calado,até que ele disse: _Você faz academia? E eu disse: _Não! Não tenho muito tempo na faculdade! _Mas como você consegue manter o seu corpo malhado e a barriguinha tanquinho? Estranhei a pergunta e vi que ele olhava,pra minha barriga! E respondí brincando: _É que eu corro ás vezes e jogo futebol,quando eu tenho tempo! Mas o que me faz ficar em forma mesmo é o sexo! _Ele ficou meio com vergonha e deu aquele sorriso amarelo! E pra quebrar o gelo eu disse: _Você também não fica atrás,você é malhado,falei sem segundas intenções,apenas tentando puxar conversa!! _Obrigado! E ele olhou pro meu braço e viu as tatoos! _Vc tem quantas tatuagens? E eu disse: _Muitas,mas a maior é um dragão! ele me observou e disse: _Onde? _Na minha cintura! No lado! Desce até abaixo da minha cueca! (Risos) Disse eu abaixando um pouco o calção! Vi que ele tremeu na base e tirou os olhos rapidamente de mim! _E vc? _Eu não tenho! Vi que ele suava e estava ficando excitado,tentava disfarçar! _Foi nessa hora que percebir que ele gostava de homem! Eu já tinha comido uns amigos,na faculdade também! Pois sou ativo,mas é dificil eu me envolver com homens! Eu também fui ficando excitado e resolvír,botar lenha na fogueira! _Cara! Eu vou tomar banho,esta muito quente! Levantei e fui ao banheiro! Terminei e pedi pra ele levar a minha toalha que eu tinha esquecido (Propositalmente). Deixei a porta do banheiro aberto e ele entra,meio com vergonha! Eu estava nu, no chuveiro! Ele me entrega a tolha e olha pro meu pau rapidamente e eu percebi! Ficou com vergonha de mim,ele saiu dali! Saí do banho enrolado em uma toalha e com uma cueca boxer branca por baixo! Ele estava assistindo, Até que eu fiquei em pé do seu lado,evitava me olhar e eu disse: _Está aki a tatuagem de que eu falei! abaixei um pouco o elástico da cueca até a altura dos meus pêlos aparados,ele olhou e vi ele se contorcer,tentando esconder a sua excitação! Eu disse: _Só as minas privilegiadas conseguem ver essa tatuagem inteira e o meu pauzão! Ele riu e disse em tom de desafio! _É porque elas ainda não viram a minha! Só a sua! Se elas me olhassem ,iam gostar,aposto que a minha é maior que a sua! Saquei a jogada dele,ele queria ver meu pau. Entrei no jogo: ._ Até parece,a minha é mais grande e grossa! _ A minha tem 17 cm! E eu disse: _A minha tem 18 cm! Ganhei!! _Aposto! esse teu pauzinho aí? não acredito! _Você ainda não viu dura! _ as minas nem sentem! _Vc quer ver ela dura? Pra eu te provar que o meu é maior? _Duvido! Joguei a toalha no chão! e fui abaixando a minha cueca devagar,o meu pau já estava duro, eu abaixei a cueca totalmente e o meu pau pulou,batendo no meu peito! Estava duro e babando! _Ele não conseguia tirar o olho do meu pau,tentou disfarçar e eu disse: _Cadê? Mostra a tua? Ele meio relutante,com vergonha,levantou ,abriu o ziper,baixou a calça até os joelhos! Ele tinha uma barriga definida também! Ficou só de cueca boxer verde,baixou a cueca e eu pude ver o seu pau! Não curto um pau,mas vi o dele! Era do tamanho do meu mais ou menos,sem pêlos e mais fina um pouco,cabeça rosa,torta para o lado e um sacão grande igual o meu! Estavamos os dois em pé excitados,ele não tirava os olhos do meu pau um segundo! e eu disse: _Mas a minha é mais grossa! E ele ascenou com a cabeça e continuou olhando! Eu partí pro ataque: _Pode ver de perto se você quiser,pode pegar! Sem problemas! ele olhou pra mim,acho que estava com medo de fazer! _Pode deixar,não vou contar pra ela,ninguém vai saber,vai ficar entre nós! _Tem certeza? vc não vai contar pra ninguém mesmo não? Se contar eu te mato! _Relaxa! vai ser nosso segredinho cunhado! agora pega! E ele não duvidou! Ele se abaixou e pegou no meu pau,todo melado! apalpou,começou uma leve punheta por alguns minutos! E eu disse: _Cai de boca! Pode chupar! Ele não perdeu mais tempo! Começou lambendo,igual um pirulito,abocanhou o meu pau,chupava bem gostoso,parecia que ja era experiente e já tinha feito antes! Fazia movimentos circulares na cabeça, descia todo até as minhas bolas chupava uma por uma e voltava a chupar o meu pau todo,fazia garganta profunda! As suas duas mãos estavam na minha cintura e as minhas faziam carinho nos seus cabelos,eu estava de olhos fechados,curtindo o momento,sentindo a lingua áspera de macho do meu cunhado no meu pau! Imagine a cena! Dois jovens de 19 e 20 anos,sarados, no meio da sala num calor escaldante,fazendo sacanagem!Um chupando o pau do outro! Até que anunciei que ia gozar: _Mas rápido kevin ,tou quase gozando! chupa,chupa o meu pau,chupa o pau do teu macho vai! _ vou gozaaar... Gozei litros de porra na sua boca! Enchir a boquinha do cunhadinho com meu leite! Ele engoliu tudo,chamei ele pra tomarmos banho! Fomos pra debaixo do chuveiro. Ele me lascou um beijo de lingua, ele ainda não tinha gozado! O tezão era tanto que resolvir bater punheta pra ele! Era estranho pra Mim,pegar no pau de outro homem! Mas eu queria dar prazer á ele! Fiquei em pé por de trás dele e coloquei a minhas mãos pela frente quase o abraçando! Eu o masturbava, mordia a sua orelha e passava a mão no seu tanquinho! Até ele gozar muito! Meu pau endureceu de novo,pois encostou na sua bunda grande e lisa,ele queria chupar de novo,não deixei, pois tinha outros planos pra ele,e fomos pro quarto... (Continua

PAPAI ME ENCOXOU E GOZOU PART 2

Depois de ter gozado em mim, meu pai ficou bem tarado, toda hora ele passava a mão na minha bunda ou ficava apertando o pau. Quando mamãe chegou, ele sossegou um pouco e foi tomar banho, enquanto eu fiquei na sala vendo tv, e mamãe foi preparar a janta. Papai saiu do banho e foi pra cozinha, enquanto eu fui tomar o meu banho... minutos depois estavamos os 3 na cozinha jantando.. Mais tarde, na hora de dormir, mamae me deu boa noite e ficou com meu pai na sala, subi pro quarto e me deitei. passado alguns minutos, papai entra no quarto e diz - vim dar boa noite pro meu bebezinho me deu um bjo na testa e fez carinho - boa noite papai meu pai foi ate a porta e olhou pra fora,voltou correndo pra cama e deitou atras de mim.. me apertou contra seu corpo e começou a roçar na minha bunda. Mesmo ele sendo gordo, ele conseguia encostar em mim. Logo ele levantou e tirou o pau pra fora e mandou eu pegar nele..o que fiz e fiquei mexendo conforme ele ensinava... de olhos fechados e ofegante, ele apertou minha mão contra o pau e ficou fazendo os mesmo movimentos.,.. escutamos barulho e papai guardou a pica, e foi pro seu quarto.. eu voltei a deitar e me cobrir... percebi meu pau durinho e comecei a mexer nele, como mexia no do papai. ate q veio uma coisa muito gostosa e eu tremi todo... e adormeci. No outro dia, minha mãe me acordou pra ir á escola, desci pra tomar café, papai estava na cozinha comendo, e mamãe me deu um beijo e foi trabalhar.. Meu pai entra mais trade no serviço, sempre me leva a escola. sentado pra tomar meu cafe, vi papai levar mamae ate o carro dela e se despedir.. Logo ele volta e diz que me ama.. me da um abraço e um beijo.. e faz uma pergunta. - quer tomar um leitinho diferente hoje? - que tipo de leite? - vem aqui meu bebe Nisso, papai abre o ziper da calça e põe o pau pra fora.. começa a bater uma devagar e pede - põe a boquinha nele põe (ele tava muito tarado) eu sem saber o que fazer vou aproximando minha boquinha e coloco devagar a cabecinha na boca e vou chupando - isso delicinha chupa mais vai tento engolir mais e nao cabe tudo, papai soltava uns sons pela boca e mordia os labios eu ia chupando devagar como se fosse um sorvetinho, e ate que tava bem gostoso aquele pau branco e peloudo na minha boca... papai solta um urro e começa a gozar na minha boca - isso vai porra engole tudo caralho aaaahhh eu consigo engolir uma boa quantidade, mas me engasgo e acabo deixando o resto cair.. papai pega papel toalha e fica se limpando, pede pra eu limpar o chao e a mesa, enquanto manda eu tomar alguma coisa pra tirar o gosto... depois de alguns minutos, ele me leva pra escola e vai trabalhar.. No proximo conto vou contar como foi a visita de uns parentes.

SACANAGEM NAS FERIAS..

Oi queridos olha eu aqui de novo rsrsrs para contar mais uma de minhas aventuras para vocês espero que gostem e sem mais delongas. Bem na época tinha uns 16 anos era mês de julho fazia tempo que eu e minha família não viajávamos, então resolvemos visitar nossa parentada do interior e mesmo sendo no interior a casa era grande e dava para um monte de gente como haviam quartos no andar de cima e no de baixo dividimos, em baixo ficaram as mulheres, ou seja, minha mãe, minha avó, minha tia, minha prima e a filhinha dela, em cima ficamos eu, meu tio e meu primo, bem meu tio era professor de ed. física por isso tinha um corpo de dar inveja, definido e meio peludo era alto olhos castanhos,pele morena cabelos castanhos e lisos, meu primo não ia muito atrás ele era um ano mais velho que eu tinha um corpo um pouco definido, lisinho, meio loiro, olhos castanho mel, cabelos negros e meio cacheados; bem acho que eu não me descrevi nos últimos contos, eu tenho olhos castanhos escuros, cabelos negros e lisos, não sou gordo nem magros, tenho curvas meio femininas e bunda grande kkk. Bem os dois primeiros dias se passaram bem devagar, as vezes eu entrava no banheiro e sem querer via meu primo ou meu tio pelados, eles riam da minha cara vermelha, mas o que eu posso dizer é que meu tesão crescia por aqueles dois deliciosos. Em uma noite acabei acordando no meio da madrugada foi ao banheiro de cima pois estava apertado, mas a visão que tive quando entrei foi ótima, meu primo e meu tio se beijando, ele viraram pra mim e deram sorrisos maliciosos : - O que temos aqui - meu tio disse - Pensa que nós não sabemos que você se excita ao nos ver sobrinho - meu tio isse com um sorriso safado - Que tal você ser nossa puta hoje- eu estava estático mas respondi indo na direção dos dois e comecei a beijar meu primo enquanto pegava n pau do meu tio - vou encara isso como um sim - meu tio disse aproveitando a massagem que eu fazia no seu pau que já estava endurecendo, meu primo me beijava como um animal sedento, sempre apertando minha bunda - agora você vai ser minha menininha obediente - meu tio disse - tira essa roupa agora - sem falar nada e cheio de tesão eu tirei minha roupa os dois arregalaram os olhos e depois sorriram de um jeito safado - caralho meu sobrinho querido se eu soubesse que você era gostoso desse jeito ja tinha te comido antes, essa bunda eu quero ela - ele sorriu - de quatro puta Fiquei de joelhos no chão, meu primo tirou a roupa mostrado seu pauzão duro de uns 19 cm na minha cara, nem esperou e puxou minha cabeça me fazendo mamar aquele pau delicioso, moreno e lisinho, ele fodia minha boca com aquele caralho, enquanto chupava meu primo sentia meu tio lambendo meu cu depois de babar bem, ele meteu o dedo fazendo um vai e vem delirante eu gemia de prazer levando dedada e chupando uma rola gostosa demais, meu tio e meu primo trocaram de lugar, meu primo nem esperou e ja foi me enrabando de uma vez eu quase grite quando entrou tudo de uma vez, e sem esperar começou ja metendo forte, rápido e fundo, foi então que eu vi o pau do meu tio tinha uns 22cm, mas o que impressionava era como era grosso,cheio de veias e peludo, ele começou a meter na minha boca eu mau conseguia engolir sem engasgar, mas era bom, então meu tio disse que queria comer meu cuzinho, ele trocou de lugar de novo e começou a meter, porra em me sentia sendo rasgado com aquela tora entrando em mim: - Caralho você é muito apertado e quente - ele disse - Concordo - meu primo disse - agora vai mama aqui no primão - comecei a chupa-lo e sem avisar meu tio começou a me comer freneticamente aquele monstro me alargava todo, eu sentia como se estivessem metendo uma tora em mim, como era bom sentia seus pelinhos encostando na minha bunda eu gemia alto, por sorte não dava para escultar nada la de baixo: - Porra tio me fode gostoso - Isso sua vadia geme pra mim vai - disse ele fazendo eu voltar a chupar meu primo, eu sugava com força, logo meu primo segurou minha cabeça e começou a gozar, eu me engasguei um pouco, mas engoli tudo e logo eu gozei no chão apertando o pau do meu tio com o cu que depois de mais umas duas metidas gozou feito um cavalo me enchedo por dentro depois que ele tirou o pau, meu cu ja espelhia a porra dele: - De hoj

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

FLAGRADO COMO FILHO DO PASTOR PART 2

Bem galera vou continuar meu relato, pra quem ainda não sabe eu sou Branco, aproximadamente 64 kg, olhos verdes claros, cabelos castanhos claro, aproximadamente 1,78 de altura, 20 anos. Depois que despedi do meu vizinho, e entrei todo sorridente em casa Gabriel com cara de desconfiado olhou pra mim e perguntou: - Que sorrisinho é esse ? quem estava lá fora ? - Nada uai, só meu sorriso normal. Era o Jeferson. - o que vcs conversaram ? - nada uai, falei pra ele não falar nada com ngm sobre o que ele viu. - hum sei. Aproveitando que vc ta de bom humor, deixa o lanche lá na mesa e vem aqui me fazer um carinho ( falou apontando pro pau). Obedeci e comecei a bater uma pra ele e em seguida chupando. Depois das 7 da noite todos estavam em casa já, Gabriel continuava lá pq o pai dele deixou ele dormi aqui. Minha mãe resolve fazer uma janta simples mais bem caprichada, e pra nossa surpresa adivinha quem veio ?? Sim, o meu vizinho e a mãe dele. Gabriel ainda estava meio nervoso pelo fato do cara ter visto a gente se pegando, mas eu acalmei ele. Depois do jantar meus irmão foram jogar vídeo game na sala e meus pais conversavam com a vizinha. Chamei Gabriel e Jeferson para ir pro meu quarto ( que tbm tinha um vídeo game). Lá conversamos bastante. Mas nada de tocar no assunto demais cedo. Eles foram em bora e o sol mau nasceu e o pai de Gabriel bate no portão pra levar ele pra casa pois não teria tempo depois. Na hora da despedida demos um beijinho rápido só pra não passar batido. Durante esse dia iria ficar sozinho novamente, dormi até umas 10 da manha, acordei com gente batendo no meu portão. Fui atender todo desarrumado, sem camisa, cabelo mal arrumado olhos meio fechados, quando abri o portão dei de cara com Jeferson me olhando e rindo. - Te acordei Paulo ? - não, não tava acordado já ( falei rindo) - nossa cara vc tá... horrível kkk - haha, entra ae mano. Ele entrou e ficamos na sala, como tinha acabado de acordar pedi que ele esperasse eu tomar uma banho rápido enquanto ele ficava na sala me esperando. Tomei um banho rápido mas bem caprichado, já estava todo arrumadinho. Sai e fui pra sala quando pisei na sala Jeferson disse: - uau, agora ta show de bola. - obrigado, eu tento. Kk Lanchamos juntos e conversamos um bom tempo e sem saber como tocando no assunto SEXO. A conversa foi ficando quente e ele novamente me fala sobre a ex e diz que tava louco por uma mamada, senti a indireta pra mim mas não queria trair o Gabriel pq eu gostava muito dele, foi ae que eu falei. - cara se eu não tivesse com o Gabriel eu teria o prazer de te ajudar se vc deixasse. ( falei meio sem graça) - serio Paulo ? me diz porque você me chuparia ? Nessa altura eu tava muito, mas muito sem graça, tava passando mil e um pensamentos na minha cabeça mas acabei falando: - uai mano, você é gato, tem um corpo legal, e parece ter um pau grande, qualquer pessoa iria querer te chupar ,gay ou mulher. - então quer dizer que você me acha gato né ? kkkk seu safadinho. Rimos juntos ae ele solta na lata. - Paulo, pensa assim, vamos fazer um acordo, você me chupa e eu não conto pra ngm nem que você me chupo e nem que eu te vi na sala com seu amigo lá. GELEI NA HORA. - você esta me chantageando Jeferson ? - não, claro que não, isso é uma troca de favores, vai me dizer também que você não quer fazer isso ? Realmente eu queria, mas relutei um pouco por causa do Gabriel, mas acabei sendo rendido pelo tesão, não sei o que aconteceu comigo, ele era muito sex e de alguma forma mexeu muito comigo. - ok então Jeferson, topo fazer isso, mas ngm pode ficar sabendo de nada, amo muito meu namorado e não quero terminar com ele por isso. - beleza, vamos pro seu quarto ? pode ser ? Concordei e fomos em silencio, ele chegou e ficou olhando tudo, meus posters, minha coleção de cds, vinis, dvds. Dava pra perceber o nervosismo dele. Eu tbm estava mega nervoso, como se fosse a minha primeira vez. - e então, vamos começar Jeferson ? tira pra fora ae. Ele me olhou nos olhos por uns minutos e foi abaixando o shorts e a cueca box amarela que ele usava. Quando a cueca foi abaixada tive um susto, um pau lindo, cabeça avermelhada bem maior que o do Gabriel, aproximadamente uns 19 ou 20 cm, tinha pelos aparadinhos e um saco grande e com pelos. Eu hesitei um pouco e e ele perguntou. - o que foi ? quer desistir ? - não não, é que ... é muito grande. - nem é tanto kk, to mega nervoso tbm, nunca deixei um homem fazer isso. Ta sendo meio estranho. - sei bem como é. Vamos lá então. Fiz ele sentar na minha cama e deixar as pernas abertas pra eu me ajoelhar e começar o boquete. Ajoelhei em frente a ele , segurei firme o pau dele fazendo ele dar um leve gemido. Olhei pra cima e vi ele com a cabeça pra trás e com olhos fechados e o pau dele pulsando na minha mão. Senti o cheiro de macho que ele tinha, passava a mão no saco dele e finalmente comecei a colocar o pau dele na boca, com um pouco de dificuldade mas consegui colocar a metade. Ele já estava gemendo muito. Chupava bem de vagar enquanto massageava as bolas dele. Ele colocou a mão na minha cabeça e começou a fazer carinho no meu cabelo e falou: - Cara você sabe mesmo chupar um pau, que delicia. Continua assim, chupa tudo. Não falei nada e continuei chupando aquele pau enorme. Em um certo momento ele segurou minha cabeça fazendo eu ficar parado com o pau na boca e ele começou a foder minha boca, engasgava algumas vezes mas ele parecia estar gostando de ver engasgar no pau dele por isso não parava. Já estávamos assim há uns 8 minutos e nada dele gozar. Do ada ele fala: - Paulo eu sei que combinamos só a chupada, mas eu quero muito te comer. Vc deixa ? Olhei meio pensativo, mas como eu estava no inferno já o que custava abraçar o capeta não é mesmo ? kk - ok, mas vai com calma pq é muito grande. - beleza, obrigado, vou fazer com carinho. Ele me levantou e meio que de surpresa me deu beijo mega gostoso( não era tão bom quanto o do Gabriel mas era top) A essa altura já estava entregue a ele. Ele me colocou de 4 na cama e caiu de boca no meu cuzinho. Lambia tudo, enfiava um dedo, depois dois e por fim 3, dava tapinhas na minha bunda e falava coisas do tipo: - que rabinho gostoso. Agora você vai ver o que é bom. Vou foder esse seu cuzinho de uma forma que vc não vai esquecer. Eu já estava doido de tesão. Ele me tasca outro beijo e coloca a camisinha no pau e aponta ele na entrada, vai fazendo força e bem devagarinho vai entrando a cabeça. Solto um grito misturado com um gemido, ele continua enfiando bem devagarinho até entrar tudo. Era meio desconfortável estar com aquilo dentro de mim, era muito grande e grosso. Mas acabei me acostumando rápido. Ele me mandou empinar a bunda pra ele e em seguida começou a bombar, a principio meio devagar e foi aumentando a velocidade e a intensidade das estocadas. No começo gemia de dor mas depois já estava gemendo de prazer. Ele sabia foder muito bem, mexia bem os quadris. Segura meus ombros e de vez em outra puxava meus cabelos. - ta gostando meu vizinho gostoso ? - sim sim Jeferson, continua assim que ta muito bom. Mudamos de posição, ele me colou de barriga pra cima e começou a meter olhando pra mim enquanto eu passava a mão no seu peito e na sua barriga. As vezes ele abaixava e me beijava e outras me dava tapinhas de leve na cara. Não demorou muito e ele anuncia que ia gozar, tira a camisinha e goza na minha barriga, era muita porra, muita mesmo. Quando eu achei que tinha acabado ele começa a bater uma pra mim me fazendo gozar em segundos. Depois deita por cima de mim e começa a me beijar. - foi muito bom isso, obrigado por me deixar te comer. Só consegui sorrir, estava muito cansado. Fomos banhar juntos mais não rolou nada além de um beijo. Em seguida ele se arrumou se despediu de mim reforçando nosso trato e eu fiquei na sala. Não demorou nem 2 minutos pra eu estar chorando muito, chorava de soluçar pensando no que eu tinha acabado de fazer. Além de estar tendo relações sexuais com outro homem eu estava traindo a pessoa que me amava e me fazia feliz. Não vou negar que não gostei do que aconteceu, foi maravilhoso, mas eu me sentia um lixo. Fiquei a tarde toda assim. No fim conclui que não contaria ao Gabriel. Continuei minha vida normalmente. Via o Jeferson quase todos os dias mas ele não foi na minha casa por uns tempos. Isso não tem mais de dois meses, mas sei lá, não sei se pode acontecer de novo com ele. Com o Gabriel rolou mais coisas inusitadas, até um papo estranho dele de fazer sexo a 3 mas foi só um comentário, ele não falou mais nada, se ele falar talvez eu possa sugerir o meu vizinho, se ele concordar é claro. Bem espero que tenham gostado desse conto, foi tudo verdade. Tenho outras coisas pra contar pra vcs se quiserem

SENDO FLAGRADO COM O FILHO DO PASTOR

Bem galera, o que vou contar pra vcs aconteceu a pouco menos de dois meses. Sou Branco, aproximadamente 64 kg, olhos verdes claros, cabelos castanhos claro, aproximadamente 1,78 de altura. Sou evangélico como alguns que acompanham meus contos sabe, mas o que vou relatar não é totalmente sobre o Gabriel ( o filho do pastor da minha igreja) . Depois do acampamento de jovens que minha igreja fez, estava muito cansado desde de domingo, como estava desempregado e o Gabriel tbm, chamei ele pra dormi aqui em casa e é claro que o pai dele não deixou, mas ae insisti um pouco mais e ele disse que ele poderia dormi aqui em casa de segunda pra terça. Então ficou combinado ele vim as 14 horas e ficar ate o dia seguinte. Na segunda de manha minha mãe, meu pai e meus irmãos foram cuidar da vida deles, todo mundo saiu e eu fiquei em casa dormindo, pois estava muito cansado. Levantei lá pras 10 horas e fui arrumar a casa que estava meio bagunçada. Como estava sozinho em casa resolvi colocar o cartão de memoria do meu celular no som e arrumar a casa escutando as minhas musicas preferidas. Estava empolgado, cantando com o som bastante alto, até lembro a musica que estava escutando quando fui surpreendido pelo barulho da campainha, era Story of my life do One direction. Abaixei o som e fui atender o portão sem camisa só de shorts mesmo (aqueles de jogar futebol). Quando abro o portão me deparo com um Rapaz muito lindo, cabelos negros, pele bem clarinha, barba feita, corpo legal, ele tinha aproximadamente 1,83 de altura e fui saber depois que ele tinha 23 anos. Percebi que ele me olhou de cima a baixo antes de falar: - Oi, desculpa atrapalhar, sou o Jeferson, nos mudamos esse fim de semana pra casa ao lado ( falou apontando pra uma casa que estava com a lixeira cheia de caixas e coisas que geralmente os antigos donos deixam). - Oi Jeferson, sou o Paulo, nem reparei ontem quando cheguei que os vizinhos já tinham se mudado. Mas e ae em que eu posso te ajudar ? - há mano, minha mãe vai fazer um almoço aqui e não sabe onde tem um supermercado por perto e sua mãe disse que se ela precisasse de algo era só falar, minha mão quer saber se sua mãe pode emprestar umas pimentas que sua mãe disse que plantou no fundo do seu quintal. Eu super de boa respondi sem segundas intensões pois não pensava em outro homem a não ser o Gabriel. - Claro, entra ae mano. Entramos e fui conduzindo ele por dentro da casa até a gente chegar no quintal dos fundos. Durante o percurso ele olhou muito pra minha casa perguntou: - Ta sozinho ? - uai cara, no momento to desempregado e minha família não para em casa né, fico sozinho direto a tarde. - a legal, então você é responsável pela faxina né ? kkk. Respondi rindo tbm. - Pior que sou mesmo. Pelo menos posso escutar minha musica de boa kkk. -Não só escutar, cantar tbm pelo o que eu escutei kkk até que vc canta muito bem. Só a banda que você tava ouvindo que é meio.... deixa pra lá. Fiquei meio sem graça e não disse mais nada. Ele chegou nos pês de pimenta e pegou uma sacolinha com algumas pimentas. Enquanto colhia ele me fazia perguntas do tipo: - vc tem namorada ? vc curte que tipo de filme ? Respondi tudo que ele perguntou. Não era nada d mais, mas ele se mostrou super interessado. Perguntei se ele namorava tbm e ele me confessou que tinha terminado com a namorada a dois meses e que estava na seca desde então. Rimos e ele fio indo embora e no final disse com tom sarcástico : - Agora vc pode continuar seu show ae kk vou ver se venho mais tarde aqui pra gente jogar um vídeo game (falou apontando pro x box na sala). Voltei a fazer o que tava fazendo e não parava de pensar no meu vizinho. Tentava parar de pensar nisso pois eu amo de mais o Gabriel e não sou do tipo de pessoa que trai. Fiz meu almoço, comi e fiquei esperando O Gabriel chegar o que não demorou muito. Ele chegou eu abri o portão e assim que fechei ele já veio me agarrando, me beijando de uma forma que só ele sabe fazer, um beijo suave mas ao mesmo tempo agressivo. Fomos pra sala e conversamos um pouco. Até que ele falou. - Paulinho, vc não sabe o quanto eu quero te comer, to louco desde sábado a noite. - Não seja por isso, estou sozinho mesmo, vamos aproveitar isso. Liguei o som bem alto de novo, dessa vez com umas seleção de musicas românticas mesmo kk ( sim eu gosto de musicas românticas, não riam) Ele foi tirando a roupa dele e eu a minha, já estávamos de pau duro como pedra e ele a todo momento me beijando e pegando na minha bunda e eu no pau dele. - Ai Paulinho, faz o que vc sabe fazer muito bem, chupa o pau do seu macho. Nem respondi e já fui ajoelhando em frente a ele e tirando aquele pau lindo com os pelos bem aparadinhos pra fora e cai de boca. Chupava e olhava pra ele, a todo momento ele estava de olhos fechados fazendo carinho nos meus cabelos e falando : - Nossa Paulinho, você chupa muito bem. Ele se sentou no sofá e eu continuava chupando ele. O momento estava maravilhoso, a musica tava dando um clima muito gostoso. De repente enquanto eu chupava olho em direção a porta da sala e me deparo com Jeferson olhando atônito pra mim e pro Gabriel, levamos um susto enorme. Rapidamente estávamos de pé assustados olhando pra ele. Abaixei o som e coloquei minha camiseta na frente do meu pau. E só disse: - Mano, não é o que você ta pensando. Gabriel rapidamente pergunta: - mano quem é você e o que você ta fazendo aqui ? Jeferson sem graça ( aparentemente) responde : -Sou o vizinho novo e ia vim aqui pra jogar vídeo game, bati a campanha e chamei, mas o portão estava meio aberto e o som tava muito alto, achei que não teria problema entrar, não esperava ver vcs fazendo ... isso. Mas relaxem, pode continuar, vou indo nessa e pode deixar que eu não falo pra ninguém. Eu olhei pro Gabriel, ele olhou pra mim e eu vesti rápido meu shorts e fui levar ele até o portão. - Mano, por favor não fala nada pra ninguém blz ? Antes dele responde pude observar que ele tinha um certo volume entre as pernas, mas deixei quieto e não falei nada. Ele sorriu e disse : - ok mano relaxa, não sou x9. Até mais. Entrei e ficamos um tempão parados olhando um pro outro. A principio Gabriel ficou muito nervoso, mas depois fomos nos acalmando, ele nem percebeu que ainda estava pelado kk Abracei ele e continuamos o que estávamos fazendo, dessa vez tranquei o portão pra ngm aparecer de surpresa de novo. Continuei chupando o pau dele que ficou duro em segundos novamente. Chupei bastante até ele me mandar ficar de 4 pra ele apoiando a cabeça no sofá. Ele se abaixou a começou a lamber meu buraquinho que a essa altura já piscava de tanto tesão, mas mesmo com esse tesão todo ainda pensava no que tinha acabado de acontecer. Depois de uma chupada de rabo maravilhosa ele todo carinhoso me da um beijo e me pergunta se estou pronto. E carinhosamente vai enfiando o pau no meu cu. Bem devagarinho. Recamo de dor mas ele é tão atencioso que para um pouquinho e recomeça a enfiar enquanto faz um carinho nas minhas costas. Estava tudo dentro e ele começa o vai vem. Que delicia, estava muito bom, nos dois ali na sala fazendo amor e escutando uma musica da Sandy que acho que passou a ser nossa musica. Ele me mandava mudar de posição toda hora, frango assado, de ladinho, em pé, deitado no chão, tava muito bom tudo aquilo até eu gozar sem ao menos ter tocado no pau. Não demorou muito e ele anuncia o gozo e me manda ficar na frente dele. - Vem Paulinho, ta na hora de tomar seu leitinho. Não pensei duas vezes e comecei a chupar freneticamente e ele goza be no fundo da minha garganta. Foi tanta porra que até escorreu. Depois disso fomos tomar um banho juntos e la dentro nos beijamos e ele novamente diz: - Já disse que te amo hoje ? Em seguida me da um beijão e sai pra trocar de roupa. Faço o mesmo. Já era umas 4 da tarde quando a fome bateu ae resolvi ir comprar um lanche pra gente em uma padaria próxima. Deixei Gabriel vendo tv e sai. Quando coloquei o pé pra fora do portão dou de cara com o Jeferson que eu acho que estava criando coragem pra bater no meu portão. - Uai Jeferson, o que vc ta fazendo aqui fora ? - nada não Paulo, so tomando um ar. E vc ? vai aonde ? - vou na padaria. - posso ir junto ? - por mim tudo bem. No começo ficamos os dois calados, ngm falava nada, tava um climão bem pesado kk mas ae ele solta uma pergunta. - Paulo, você e aquele menino lá são.... Gays ? Pensei um pouco e respondi. - uai cara, eu tava fazendo um boquete nele, acho que somos kkk mas mano, por favor, ngm pode saber. - rlx cara, já disse que não sou x9. Só fiquei espantando com a cena. - é, pelo jeito ficou mesmo, na hora que fui te levar no portão percebi um certo volume no seu shorts. Ele ficou super sem graça mas mesmo assim falou: - uai cara, to na seca né, sabe como é, minha namorada nunca chupou meu pau, ela era aquelas meninas frescas que tem nojinho dessas coisas. - Sei como é kk então você nunca ganhou uma mamada ?? - uai, já ganhei sim, mas tem muito tempo rsrs Depois disso o silencio reinou novamente. Pude perceber que ele pegava muito no pau, mas eu não falei nada. Mas no fundo eu queria muito falar alguma coisa. Na volta ele disse que queria ser meu amigo e que ele gostou muito de me conhecer. Tbm disse o mesmo. Chegando na porta de casa perguntei se ele queria entrar e ele disse que depois entrava pois ele tinha coisas pra fazer ( falou pegando no pau discretamente). Peguei na mão dele mas ele me puxou e deu um tapa na minha bunda e riu, tbm ri e entrei. Gente esse conto é verídico e foi muito tenso, a história não acabou, vou escrever a continuação o mais rápido possível se vcs quiserem kk não tenho foto dele ainda mas ele se parece mais o menos com esse cara da foto que eu postei se vcs gostaram deixem seus comentários e votem no conto. kkkk